Governador receberepresentantes do setor agropecuário

31/01- Florianópolis – O governador Raimundo Colombo recebeu, nesta quinta-feira (27), representantes do Sindicato da Indústria da Carne e Derivados (Sindicarne), e da Associação Catarinense de Avicultura (Acav), para discutir ações para o setor da agropecuária. Colombo recebeu pedidos para auxiliar na melhoria da infraestrutura para o setor e apoio para manter o status conquistado de Estado livre da febre aftosa sem vacinação. Em resposta, o secretário da Agricultura, João Rodrigues, atendendo pedido do governador, anunciou que a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de SC (Cidasc), a partir de agora, passa a atuar apenas com sanidade animal e vegetal. O secretário também anunciou que unificará a Secretaria, a Cidasc e a Epagri em um mesmo prédio.

Estavam presentes os secretários da Fazenda, Ubiratan Rezende; da Agricultura, João Rodrigues; da Coordenação e Articulação, Antônio Ceron; e da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Paulo César da Costa. Governador e secretários escutaram os pleitos do setor, que apresentou os problemas de logística para a produção no Estado, principalmente pelo alto preço do milho, utilizado nas rações. Segundo o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina, José Zeferino, a ração é responsável por 70% do custo de criação dos animais.

Raimundo Colombo se comprometeu a estudar as propostas apresentadas para a questão, como a criação de um sistema de armazenamento para o milho, o aumento da produção local ou a importação dos grãos produzido nos países do Mercosul. “Precisamos aumentar nossa produção local e podemos avançar na questão do armazenamento, sem descartar a possibilidade de importação. Ainda não temos a resposta, mas as secretarias estão integradas para buscarmos a solução”, explicou o governador.
Fonte: Bom dia Santa Catarina

Anúncios

União socorre agricultor gaúcho

Açudes estão praticamente secos em alguns municípios da Metade Sul<br /><b>Crédito: </b> melissa pereira porto / especial / cp
Açudes estão praticamente secos em alguns municípios da Metade Sul
Crédito: melissa pereira porto / especial / cp

Os ministros do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, e da Integração Nacional, Fernando Coelho, desembarcam hoje em Porto Alegre para anunciar medidas que amenizam os reflexos da seca nos municípios gaúchos. As ações são uma resposta às reivindicações do Consórcio Regional de Combate aos Efeitos da Estiagem e do governo estadual, que estiveram em Brasília na semana passada.

Florence deve confirmar a oferta de estoques públicos de trigo para alimentação animal e detalhar os processos de aquisição e distribuição do cereal. Segundo o secretário de Desenvolvimento Rural, Ivar Pavan, foram solicitadas 20 mil toneladas para as regiões Sul e Campanha. "Trabalhamos para que isso chegue ao campo com custo zero através de recursos do governo federal e com uma contrapartida do Estado", salienta Pavan.

O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) também deve liberar R$ 9 milhões empenhados pelo Incra para a compra de 28 máquinas para os municípios que integram o Consórcio de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental da Bacia do Rio Jaguarão (Cideja). Com a verba, o maquinário será quitado e retirado de depósito em Aceguá para ser usado na construção de açudes e na abertura de novas estradas.

Do Ministério da Integração Nacional, devem sair recursos para revitalização de áreas atingidas pela seca e a liberação de cestas básicas para a Defesa Civil dar suporte aos municípios com decreto de emergência. Também se aguarda o detalhamento do projeto de construção de cisternas com verba do Ministério do Desenvolvimento Social.

Representantes do Consórcio Regional de Combate aos Efeitos da Estiagem aproveitarão a visita dos ministros para reforçar a necessidade de um plano permanente de combate à seca na Metade Sul. Segundo o presidente do Fórum, Dalvir Zorzi, entre as reivindicações estão anistia a dívidas de custeio, construção de barragens e ampliação do projeto de moradias aos assentados.

O governo estadual deve aproveitar a oportunidade para anunciar seu pacote de combate à seca, passando pela liberação de máquinas perfuratrizes. Até agora, 15 municípios decretaram emergência e foram reconhecidos pela Defesa Civil, sendo que Tavares e São Pedro do Sul foram homologados ontem.

Fonte: CP

17º RODEIO INTERNACIONAL DO CONESUL

A Estância do Minuano divulgou a programação da gineteada e programação geral do 17º RODEIO INTERNACIONAL DO CONESUL no seu site.
Acesse: http://estanciadominuano.com.br

INSCRIÇÕES DA GINETEADA – 17º RODEIO INTERNACIONAL DO CONESUL

INSCRIÇÕES:

O valor das inscrições serão no valor de R$ 300,00 (trezentos reais)
O pagamento deverá ser efetuado até o dia 30 de janeiro de 2011
Os pagamentos serão efetuados na forma de boletos bancários.

Solicitação de boletos e informações adicionais:
(55) 32112400 (Sec ATEM)
(55) 84491941 “Piriquito”
http://estanciadominuano.com.br/contato/

Inscrições de projetos no Fundo de Apoio à Cultura encerram dia 31 de janeiro

O Fundo de Apoio à Cultura do Estado está com inscrições abertas para seleção de
projetos culturais que concorrem a o financiamento direto do Governo do Estado.
O valor do beneficio é de R$ 30 mil e os interessado podem se inscrever através do site.

Súmula do edital

A SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA, torna público que estará recebendo os projetos culturais dos interessados em participar do CONCURSO, que se processará nos termos deste Edital, da Lei nº 13.490/2010 e Decreto nº 47.618 e da Lei Federal nº 8.666/93 com suas alterações, para a escolha de Projetos Culturais que receberão financiamento do Fundo de Apoio à Cultura do Rio Grande do Sul – FAC/RS. Os Projetos apresentados deverão obrigatoriamente se enquadrar nas áreas previstas nos incisos I, II, III, IV, V e VI do art. 4º da Lei 13.490/2010. O valor total disponível para financiamento a projetos culturais concorrentes para este edital é de R$ 880.000,00 (oitocentos e oitenta mil reais). O valor a ser financiado pelo FAC/RS para cada projeto fica limitado em R$ 30.000,00 (trinta mil reais). O Concurso destina-se a Produtores Culturais (pessoas físicas e Jurídicas de Direito Privado) previamente cadastrados junto à SEDAC nos termos do regulamento.

Os projetos serão enviados exclusivamente pelo Portal do Sistema Estadual Unificado de Apoio às Atividades Culturais www.procultura.rs.gov.br, das 10h do dia 08 de dezembro de 2010 às 17h do dia 31 de janeiro de 2011.
Fonte: Pró-Cultura
www.procultura.rs.gov.br

3o Levante da Canção Gaúcha de Capão do Leão

LEVANTE2.jpg

TRIAGEM

A Comissão Organizadora comunica que as músicas constantes abaixo, foram classificadas para o 3º Levante da Canção Gaúcha de Capão do Leão.
Os autores das letras e músicas, deverão providenciar a remessa das autorizações para gravação de CD e DVD, com firma reconhecida em Cartório, até o dia 28 de janeiro de 2011.

Alertamos que caso os documentos solicitados não estiverem de posse da Comissão Organizadora até a data aprazada, a respectiva composição será substituída por uma suplente.
As autorizações dos interpretes e músicos serão acolhidas por ocasião da passagem de som.

FASE LOCAL:
1- Molduras nas Paredes (Letra: André Santos / Música: Daniel Xavier)

2- Rastro de História (Letra e Música: David Martins)

3- As Mãos de Antonio (Letra: Éder Rosa / Música: Daniel Xavier)

4- Milongueando Saudades (Letra e Música: Douglas da Silva Silveira)

FASE ESTADUAL:
1- Corazón de Cantor (Letra: Xiru Antunes e Martin Cesar / Música: Paulo Tim)
Local: Pelotas e Jaguarão

2- Sina das Almas (Letra: Caine Teixeira Garcia / Música Zulmar Benitez)
Local: Bagé

3- Mundo e Campo (Letra: Gujo Teixeira / Música: Cristiano Quevedo)
Local: Lavras do Sul e Piratini

4- Cantando Voy (Letra e Música: Frederico Viana)

Local: Santa Vitória do Palmar

5- Se Esquecerem do Meu Verso (Letra e Música: Tiago Oliveira)
Local: Encruzilhada do Sul

6- Pequenas Coplas de Quem Andeja (Letra: Xiru Antunes / Música: Érlon Pericles)

Local: Pelotas e Porto Alegre

7- Quando Saio a Campear China (Letra:José Dias Motta/Música:José Dias Motta e Tiago Oliveira)
Local: Encruzilhada do Sul

8- Lida Gaúcha (Letra: Heleadoro Corrêa de Oliveira / Música: Rafael de Sá Britto)

Local: Santa Vitória do Palmar

9- Tarado por Chamamé (Letra: Jorge Frederico Webber / Música: Maicon Gonzáles)
Local: Brasília e Pelotas

10-Seguindo a Volta do Tento (Letra: Fabrício Marques e Fábio Maciel / Música: André Teixeira e Miguel Vieira)

Local: Pelotas e São Gabriel

JURADOS: Anomar Danubio Vieira, Rodrigo Maia e Raineri Spohr

Capão do Leão/RS, 17 de janeiro de 2011.
Comissão Organizadora do 3º Levante da Canção Gaúcha.

29ª Gauderiada da Canção Gaúcha – RESULTADO

15, 16 e 17 de janeiro de 2011. Rosário do Sul

1º LUGAR
Alguém Mateia Comigo
L: Zeca Alves
M: Glademir Escobar
Int: Ita Cunha
Livramento e Itaqui

2º LUGAR
Nas Asas da Milonga

L: Caio Martinez
M: Caio Martinez e Piero Ereno
Int: Caio Martinez e Piero Ereno
Porto Alegre e Jaguari

3º LUGAR
Três Hileras Negras
L: Gujo Teixeira
M: Leonel Gomez
Int: Leonel Gomez

Lavras do Sul e Livramento

MAIS POPULAR
Namoro de Gato
L: João Sampaio e Diego Müller
M: Erlon Péricles e Duca Duarte
Int: Érlon Péricles e Cristiano Quevedo
Itaqui e Porto Alegre

MELHOR INTÉRPRETE

Ita Cunha ( na composição Alguém Mateia Comigo )

MELHOR CONJUNTO VOCAL
Baguais Nos Chamaram
L: Lauro Correia Simões
M: Clovis Souza
Int: GrupoVia Sul
Livramento

MELHOR CONJUNTO INSTRUMENTAL

Nas Asas da Milonga
L: Caio Martinez
M: Caio Martinez e Piero Ereno
Int: Caio Martinez e Piero Ereno
Porto Alegre e Jaguari

REVELAÇÃO
Rafael Ferrari (bandolim em Nas Asas da Milonga)

MELHOR COMPOSITOR

Zeca Alves pela composição Alguém Mateia Comigo

MELHOR TEMA CAMPEIRO
Payada Para Duas Estrelas
L: Diego Müller
M: Juliano Javoski
Int: Juliano Javoski e Xirú Antunes
Santa Maria

MELHOR INSTRUMENTISTA

Samuca ( acordeon em Nas Asas da Milonga e No Passo da Tapera )

Fonte: Pulperia

Será Hasta 2012 – Festival Jesus Maria

Noche de despedidas en la décima del Festival. Bien cargadita: entrega de premios, desfile gaucho, actuaciones estelares (Alberto Plaza, Coki Ramírez, Los Guaraníes) y toda la emoción del adiós

DSC_3283.jpg

La jornada del domingo 16 de enero pintaba para ser tórrida y pesada. Sin embargo, un amague de tormenta en horas de la tarde hizo que el panorama climático cambiara radicalmente: un aire fresco desde el sector sudeste hizo que el tiempo se tornara más agradable.

En esas condiciones, se realizó el tradicional Desfile Gaucho “Por La Unión De Los Pueblos”, que enlazó la Plaza Nicolás Avellaneda de Colonia Caroya y nuestro Anfiteatro.
Una caravana de hombres a caballo, agrupaciones gauchas, autoridades y público en general atravesó las ciudades de Jesús María y Colonia Caroya. Nuestros vecinos pudieron saludar a los participantes, contagiandose con la alegría del sentir nacional en cada uno de sus pasos. En cada una de sus calles.

Premios Merecidos

DSC_4029.jpg

José Ortiz (Corrientes, Crina Limpia), Eduardo Argarañaz (Formosa, Bastos Con Encimera Lisa) y Ramón Córdoba (Formosa, Gurupa Surera) obtuvieron el título en sus respectivas categorías. Más allá de representar a Jesús María en 2012, su esfuerzo y entrega merecían una interminable lista de premios:

$8400 y una rastra de plata con apliques de oro, con cinto de cuero de carpincho por parte del Festival. Además, debemos acumular los premios sumados en las montas de cada noche. No solamente los ganadores reciben premios: los cinco primeros puestos reciben regalías en efectivo, rastras y yuntas.

La novedad para 2011 es el premio “Alfredo Carlos Espíndola- Ciudad de Jesús María”, instituido por la Municipalidad de Jesús María. Mediante el mismo, los ganadores reciben un cheque por diez mil pesos, una medalla y un decreto por el cual quedan en la memoria de nuestra localidad. Las tres primeras ubicaciones también reciben premios por parte el Ejecutivo Local.

Como todos los años, cortesía de Familia Grion, los flamantes consagrados recibieron productos regionales de nuestra zona.
La delegación de Formosa se coronó como ganadora entre las 25 delegaciones, por haber sumado la mayor cantidad de puntos entre las tres categorías.

La tropilla ganadora fue “Tigre De Los Llanos”, de Aldo Fassi, que baja de Sinsacate. Los siguieron La Embrujada, de Martinengo; La Cautiva, de Pizzolatto; La Pumita, de Enzo Vega y La Flor Del Pago, de Daneo.
El Ministerio de Agricultura, Ganadería y Pesca de la Nación, mediante un subsidio de un millón de pesos, aportó con su granito de arena para el Festival. A cambio, el Ministro de Agricultura Julián Domínguez recibió un poncho y un facón.

Artistas En El Cierre

DSC_3488.jpg

Los Guaraníes, y su nueva formación volvieron a las noches de color y coraje. Algunas de sus interpretaciones: “Zamba Del Negro Alegre”, “Volver Volver”, “Anda en la Luna” y “Soñadora del Carnaval”.
Otro regreso esperado: 5 Sentidos. Oriundos del sur provincial, nos trajeron su música a la última del Festival.

Además, se presentó Daniel Altamirano. Un espectáculo novedoso: presentó en escena a las hermanitas Charriol. Gimena de 9 de años de edad, Martina de 6 años y Valentina de 10, interpretaron junto al cantautor “Del Maiten” y “La Oma”.

En cuanto a la agrupación Markama podemos mencionar que llegaron al Martín Fierro trayendo un clima de fiesta a la velada. Su repertorio: “La Desdeñosa”, “Sin Ti”, “El Alcatraz” y “Fiesta de San Benito”.

Chileno Acompañado

“El público y la prensa especializada lo han calificado como un creador y como un intérprete magistral. Cantautor chileno de voz privilegiada que cautiva con un talento inigualable”, describe la biografía del portal web de Alberto Plaza. Siete actuaciones en el Festival de la Canción de Viña del Mar, uno de los más reconocidos a nivel mundial, avalan la trayectoria de un romántico que prestigió la noche de clausura de Jesús María.

Con un repertorio total de 20 canciones, entre las que podemos mencionar “Bandido”, “Sentencia”, “Yo Te Seguiré”, “No Seas Cruel”, “Yo Quiero Ver la Luna”. 25 años como músico dan cuenta de su trayectoria.
A modo de regalo, Plaza cantó acompañado de su guitarra; una canción típica del cancionero popular argentino. Nada más y nada menos que “Alfonsina y El Mar”.

DSC_4583.jpg

En esta oportunidad, su show contó con una invitada especial. Artista con la que compartió junto a él escenario durante casi ocho años.
Estamos hablando de Coki Ramírez quien acompañó a Plaza en el escenario Martín Fierro. Sensualidad y talento, unidos en una sola figura.

Esta cordobesa cautivó al animador televisivo Marcelo Tinelli en las galas de Showmatch. Tremenda popularidad acelerada, hacía pensar que desaparecería fugazmente. Sin embargo, aquellas apariciones en el programa más visto del país significaron la puerta de acceso a un mundo que ella conoce de memoria: el canto.

ASÍ TERMINÓ LA FIESTA DE LA ARGENTINIDAD POR EXCELENCIA. GRACIAS A TODOS LOS COMUNICADORES QUE HICIERON POSIBLE LA DIFUSIÓN DE ÉSTE EVENTO. LOS VALORES PATRIOS, LA TRADICIÓN Y LA BRAVURA SE CONJUGARON DURANTE DIEZ NOCHES PARA OFRECER UN ESPECTÁCULO SIN PRESEDENTES.
SOLAMENTE RESTA DECIR GRACIAS.
LOS ESPERAMOS EN JESÚS MARÍA 2012.

Logo46web.jpg
Fonte: Blog del festival

Mapa anuncia PEP para o trigo

O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, anunciou ontem um novo leilão de PEP para o trigo da safra 2010/2011. A oferta acontecerá no dia 20, para 390 mil toneladas do cereal, sendo 150 mil para o RS, 190 mil para o PR, 30 mil para SC, 10 mil para SP e 10 mil para o MS. O prêmio será publicado dia 18. O presidente da Fecoagro, Rui Polidoro Pinto, espera que o valor fique um pouco acima de R$ 3,00 a saca. "Pedimos ao ministério mais um leilão. O objetivo é chegar a 1,3 milhão de toneladas. Nos leilões do ano passado, conseguimos escoar 910 mil toneladas."
Fonte: CP

Produtos orgânicos passam a ter certificação obrigatória no Brasil

Desde primeiro de janeiro, todo o produto orgânico comercializado no Brasil tem que estar registrado no Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica. Segundo o superintendente do Ministério da Agricultura no Rio Grande do Sul, esta decisão garante a qualidade dos produtos, principalmente para o consumidor. Francisco Signor salienta que o objetivo da medida visa proteger meio ambiente, produtores e consumidores.

– São regras diferenciadas de produção, que protegem o meio ambiente, o produtor e o consumidor, dando uma identidade e qualidade diferenciadas dos produtos que vão ser consumidos a partir dos novos critérios e novo mmanejo de produção, tanto dos produtos do reino animal, quanto do reino vegetal.
O Estado tem os processos mais avançados para colocar em prática este sistema de produção.
– É uma rastreabilidade, é uma fórmula nova de se tratar essa questão da produção de alimentos. Existe já um movimento muito grande em nível nacional e mundial, e no Brasil, o Rio Grande do Sul é o que está em melhores condições e que avançou mais em termos de organização dos produtores que produzem ecologicamente correto com o Ministério da Agricultura.
O Rio Grande do Sul tem o maior número de entidades credenciadas para atuarem dentro das novas normas de legislação da produção orgânica.

Ouça a matéria

Fonte: Campo e Lavoura na Gaúcha

46 Festival Nacional de Doma y Folklore de Jesus Maria

Logo46web.jpg

Fundamentación de la Imagen:

El trabajo representa al momento previo de la monta, donde los nervios van templando
la destreza del jinete. Sus manos trabajando prolijamente, atando la espuela,
procurando la seguridad y calidad de la jineteada que esta por venir.

La bota de potro, trabajo artesanal, representativa del gauchaje en la historia de nuestra tierra, símbolo de nuestra forma de hacer y ser.
La espuela de cinco puntas, pieza importante de la monta que acaricia con pasión y cuidado el poderoso cuerpo del reservado.

El color rojo del Festival, el color de la pasión, de la fuerza y la fortaleza demostradas en el campo de la jineteada.
El color celeste representativo de nuestros símbolos patrios, el color de la tranquilidad,
La armonía y la paz.

La simpleza de la imagen nos acerca a nuestras costumbres, a nuestra forma de ser sencilla y popular.
Fonte: www.festival.org.ar

44º Festival Nacional del Malambo, Laborde, Córdoba

malamb.jpg
El 44º Festival Nacional del Malambo tendrá lugar entre el 11 y el 16 de enero de 2011 en Laborde, al sudeste de Córdoba. A lo largo de esta nueva edición cada una de las provincias argentinas presentará para la competencia a sus mejores exponentes de la música, el canto y la danza, especialmente el malambo, confirmando al festival como un espacio federal de integración e intercambio cultural.

La participación se llevará a cabo según la siguiente programación:
Martes: Entre Ríos, Santiago del Estero, Córdoba, Catamarca y Río Negro.
Miércoles: Salta, San Juan, Santa Fe, Chaco y Jujuy.
Jueves: Misiones, Neuquén, Buenos Aires, Corrientes y Santa Cruz.
Viernes: La Rioja, Tucumán, La Pampa, Formosa.
Sábado: Chubut, San Luis, Mendoza y Tierra del Fuego.

Durantes las seis noches el Parque Nacional del Malambo albergará alrededor de 6000 espectadores que podrán disfrutar de la propuesta musical que incluye las actuaciones de Cautivos (miércoles 12), Canto 4 (jueves 13), Chango Spasiuk (viernes 14), Sergio Galleguillo (sábado 15) y La Callejera (domingo 16) y además la participación especial de artistas de Brasil, Paraguay, Chile, Bolivia, Uruguay y Colombia y de la “Escuela de danzas del Festival Nacional del Malambo”.

Esta próxima edición ofrece a quienes se acerquen a la localidad la posibilidad de participar en el “Taller de malambo” dictado por el Profesor Sergio Pérez, Campeón Nacional de Malambo 1997 y en las conferencias "El repertorio coreográfico tradicional de las provincias argentinas" por el Prof. Héctor Aricó, “Lingüística ancestral mapuche-pampa” a cargo del Investigador Patricio Alcides Cunningham y el Antropólogo Felipe Darío Canale y finalmente “El alma de mi provincia. Cultura neuquina” a cargo de la Prof. Rosa Graciela Benítez.

En el cierre del domingo, junto con las finales de Competencia, se consagrará a un nuevo “Campeón Nacional de Malambo” que será el embajador cultural del Festival en el país y en el exterior.

Sitio Oficial del Festival: www.festivaldelmalambo.com

Indumentária Gaúcha

Indumentária Gaúcha

A pilcha gaúcha é a indumentária usada pelos tradicionalistas, uma vez que é um traje tradicional e deve ser confeccionado e usado de acordo com os costumes do passado, ou seja, não pode ser criada moda sobre um estilo considerado tradicional.

O traje gauchesco é amplamente usado nos países tradicionalistas gaúchos por prendas e peões, principalmente no Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile.

Peão

Chiripá: Traje de origem indígena. O chiripá é uma espécie de “saia” retangular preso na cintura.

Bombacha: Surgiu na Turquia, foi trazido para vários países. As bombachas são largas com favos de mel, com cós largos e sem presilhas para cinta, com 2 bolsos grandes na laterais, nas cores claras paras as ocasiões festivas e escuras para o trabalho. Sendo que a largura da perna deve ser pelo menos do diâmetro da cintura.

Camisa: Pode ser de uma cor só ou riscada, pode ser usar também colete ou casaco, nunca em cores chamativas e sempre de manga longa. Camisa preta somente para luto.
Lenço: O lenço é pendurado no pescoço atado por nó, que pode ser feito de várias maneiras. As cores mais usadas são vermelho (maragato) e branco (chimango). Em funerais se usa somente o lenço de cor preta e para luto também.

Chapéu: Sempre feito de feltro, nunca de palha. Não se usa chapéu em ambientes cobertos.
Guaiaca: é uma espécie de cinto largo feito em couro, podendo ter bolsos, porém não deve-se usar o celular á mostra (pois na época não existia). Pala e Poncho: O pala é feito de tecido leve. O poncho feito de lã para dias frios. São trajes usados pelo gaúcho, mas são de origem indígena. Bota: Sempre de couro.

Não deve:

Cores chamativas, a exemplo de amarelo ou vermelho nos trajes dos peões, e não usar a pilcha de tecido e cor igual da sua prenda;
Usar cor roxa;
Bordar qualquer tipo de bordado na bombacha;
Calça estreita, rastra;
Lenço curto estampado;
Boina estilizada que não seja de feitio artesanal, como crochê por exemplo.

Prenda:

A prenda pode optar em usar o vestido ou saia com blusa, sendo esta última permitida somente para prendas adultas e veteranas.

Tanto o vestido quanto o conjunto pode ser estampado ou liso.
Os babados, rendas, apliques e passa-fitas é livre.
É obrigatório o uso de bombachinhas até o joelho em todas as idades.
Usar meia branca, não usar transparente.

Prenda veterana: cores sóbrias. Não é permitido a cor-de-rosa, roxo,branco, preto e vermelho.
As mangas devem ser longas.
É permitido o uso de lenço cruzado sobre o peito preso por um camafeu.
É permitido o uso de fichú de seda com franja ou de crochê preso com camafeu.

É permitido o uso de chale preso com camafeu. Sapatilha com salto de 5 cm no máximo, com tira atacada por cima do peito do pé.
Maquiagens leves.

Prenda adulta: É permitido cores mais vivas como vermelho, com exceção de roxo, sendo o preto somente para luto.

O cabelo pode ser preso somente no topo da cabeça ou com penteado ou tranças.
Sapatilhas até salto 7 e bombachinhas na mesma condição de veterana.
Maquiagens leves.

Prenda mirim e juvenil: Somente cores claras. É permitido o uso de mangas até o cotovelo. Vestido abaixo do joelho, no comprimento da canela. Sapatilha de 2 cm.

Não pode:

Brilhos nos trajes;
Pinturas nos tecidos;
Mangas boca de sino;
Acessórios de plástico;
Relógio;
Luvas;
Usar tecido e cor de traje combinando com o seu peão;
Traje com estampa ou bordado que assemelhe com o pavilhão (ex: bandeira do Brasil, estado, municípios, empresas ou outros)

Decote;
Mangas curtas;
Tecido transparente;
Colar;
Usar bombacha ou chiripá, pois são vestimentas exclusivas do peão;
Lenços curtos e floridos, estampados;
Fonte: CTG Os Praianos

Hoje foi mais um dia…

Hoje!…

Foi mais que um dia de campereada

Cheguei nas casa

Desencilhei, fiz um mate

Segui sorvendo e pensando…

Pensando de alma pesada

Hoje!…

Foi mais que um dia de campereada

Pois vi a vida enquadrada

Desde um extremo a outro

Vi dois cordeiros nascendo

E um terneirito morto

Quando sai de manhã

Soprava frio um ventito

E recorrendo eu e o Vitor

Se fomo até meio-dia

Mas notei que hoje – o dia –

Andava meio esquisito

A tarde empeçava morna

Voava alto a corvada

Era uma tarde nublada

Com jeito de viração

Que angustia o coração

Mas a gente não diz nada

Logo abaixo do rodeio

Vi dois cordeiros berrando

Pela ovelha chamando

Que ao tranco se ia embora

Por sorte foi bem na hora

Que eu ali ia cruzando

Talvez não ouvi-se os berros

Por causa do vento norte

Se ia extinguindo a sorte

Daqueles recém nascidos

Que mal os olhos abrindo

Já iam encarando a morte

Segui recorrendo o campo

Agora mais aliviado

Depois que os dois “bem mamado”

Iam ter força pra andar

Pra poderem acompanhar

A sua mãe no costado

Mas hoje!…

Foi mais que um dia de campereada

E lá na mangueira do meio

Tem umas vaca de ubre cheio

Já co`as teta bem inchada

Que tem que dá uma esgotada

Pra pode mamá os terneiro

Mas Bueno!…

Segui batendo meu basto

Nas cruz da minha tordilha

Quando avistei nas flexilha

Uma polianga deitada

Então fui dá uma chuliada

Recém tinha dado cria

Notei ainda do basto

Que o bichinho era doente

E aquela angústia de repente

No peito brotou ligero

E que a sorte dos cordeiros

Não andava mais co`a gente

Alcancei pro Paulo Sérgio

Que acomodou a terneira

Na cabeça das basteira

Levava a pobre agarrada

E eu com a vaca apartada

Em direção da mangueira

Botamo a vaca no tronco

Tiramo um pouco de leite

Fizemo mamá a doente

Pra vê se a “conchenca” salvava

Mas era pior do que pensava

Mal formada boca e dente…

No constatar o problema

A esperança ficô poca

Não tinha o céu da boca

Um buraco no lugar

E vimo que pra se salvar

Só tendo uma sorte loca

Mesmo assim… foi dado o leite

Por descargo de consciência

Mas digo pela experiência

Embora faça minha prece

Que a pobrezinha amanhece

Bem longe desta querência

Por isso, Hoje!…

Foi mais que um dia de campereada

Cheguei nas casa de alma pesada

Por ver a vida, bem enquadrada!

Só pude olhar…

E fazer, nada!

Guto Gonzalez

Novembro de 2010
Fonte: Blog Compondo Rastros

Pela primeira vez, Ministério da Pesca e Aquicultura será comandado por uma mulher

Ministério da Cultura e Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República também têm mulheres pela primeira vez no comando

O Ministério da Pesca e Aquicultura será comandado por Ideli Salvatti, a primeira mulher à frente da pasta. Também têm pela primeira vez uma mulher no comando o Ministério da Cultura e a Secretaria de Direitos Humanos (SDH) da Presidência da República. Na SDH assume Maria do Rosário e na Cultura, Ana de Hollanda.

Ideli Salvatti assume o cargo em cerimônia realizada no auditório principal do Ministério da Agricultura. Uma das fundadoras do PT em Santa Catarina, Ideli começou a vida parlamentar em 1994 como deputada estadual. No fim da década de 90, foi eleita deputada federal e em 2002, senadora.

Já no Museu da República, Ana de Hollanda recebe o Ministério da Cultura do antecessor Juca Ferreira. Ela foi diretora de Música da Funarte e atualmente estava exercendo o cargo de vice-diretora do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro.

Maria do Rosário é pedagoga formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, mestre em educação e violência infantil e professora da rede pública. Foi vereadora de Porto Alegre por dois mandatos, deputada estadual e em outubro de 2010 foi eleita para o terceiro mandato consecutivo de deputada federal.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL

Alta de alimentos ameaça vendas em 2011

Inflação afeta classes que mais ampliaram o consumo no último ano

O crescimento da renda, que garantiu recordes de venda ao setor supermercadista em 2010, deve manter o consumo aquecido em 2011, mas o possível aumento dos preços dos alimentos, puxado pela alta das commodities e pela demanda aquecida, poderá desacelerar o volume das vendas de alimentos nos supermercados. Isso porque a inflação afeta, sobretudo, o poder de consumo das classes C e D, faixas da população que mais ampliaram o consumo.

– O desafio será manter o mesmo patamar de crescimento em 2011. A tendência é de que a alta de preços afete o volume (de vendas) – diz o presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Sussumu Honda.

Segundo Honda, a quantidade de produtos vendidos cresceu na faixa dos 7% no ano passado na comparação com 2009, com base em levantamento da consultoria Nielsen. Esse patamar de crescimento será o maior ao menos desde 2005, quando a pesquisa passou a ser realizada.

Fonte: Zero Hora

Classificadas – 22.º Grito do Nativismo

209.jpgForam divulgadas nesta quarta-feira as 12 músicas classificadas para o 22º Grito do Nativismo, que será realizado em Jaguari, de 21 a 23 de janeiro. A comissão julgadora, formada por Eraci Rocha, Ramires Monteiro, Vilmar Villa de Menezes, Piero Ereno e Roni Denarde (foto da Rádio Jaguari), ouviu as 512 músicas inscritas. Abaixo vai a relação, enviada por uma das integrantes da comissão organizadora, Elimar Frasson (gracias!).

1- Por viver
de Rômulo Chaves e Emerson Martins

2- Quando a alma sente frio
de Salvador Lamberty e João Chagas Leite

3- Sinceridade
de Rômulo Chaves e Everson Maré

4- Estação saudade
de Sílvio Genro, Máximo Fortes, Penna Flores e Pedro Flores

5- A mão do tempo
de Roberto Huerta e Jair Medeiros

6- A voz dos avós
de João Ari Ferreira e Tuny Brum

7- Dois momentos de saudade
de Juca Moraes e Nilton Ferreira

8- À deriva
de Miguel Bica, Máximo Fortes e Diogo Matos

9- Quando a sombra desce o cerro
de Jordana C. Pedroso e Nilton Ferreira

10- Décima do campeiro urbano
de Maximilliano Alves de Moraes e Pedro Trevisan

11- Feito uma tava no ar
de Carlos Omar Vilella Gomes, Gilson Parodes e Arissom Martins

12- Na solidão de um domingo
de Belmiro Pereira e Luiz Cardoso

*Músicas suplentes:
1- Das notas de um querer – Juca Moraes e Edson Macúglia
2- Meu verso chimarrão – Marcelo D´Ávila e Juliano Moreno

3- Menestrel – Vaine Darde e Diogo Matos

Fonte: Tânia Goulart / www.jornalnh.com.br/abcdogaucho.

Jesus Maria

Bom dia.

Começa 2011. Depois da festa da virada, que comemorei mais que a chegada de um ano novo, comemorei o ótimo 2010 que tive.

Não que a gineteada seja meu maior projeto de vida, mas como posso aproveitar cada parte de um projeto separadamente e o ano passado foi muito bom para mim nas realizações que eu almejei neste ponto, pretendo começar este ano da maneira que terminamos o ano passado.

Iria escrever as informações a partir do dia 5, o dia que saio daqui de Aceguá rumo ao festival. Mas tive conversando ontem com alguns amigos e com o Minga, meu pai, sobre Jesus Maria e lembrei o quão importante é estar lá, que isto sempre foi um sonho e resolvi começar hoje.

Com o perdão da redundância, vou partir do início.
Jesus Maria é o campeonato nacional de gineteadas na Argentina. Cada departamento, ou estado como chamamos aqui, envia 4 ginetes para o festival. Estes ginetes são selecionados em alguns lugares por classificatórias e outros por convite. Brasil, Uruguai e Chile também levam suas delegações, mas não concorrem ao prêmio nacional de gineteadas, somente no Internacional. Mas isto apenas no somatório das notas no final, pois durante todo o festival todas as delegações participam da mesma maneira, tanto no número de montas, como no sorteio e no regulameto. No Brasil os ginetes são convidados pelo delegado Antônio Motta Flores.

Destes quatro ginetes, um é para montar nas crinas, outro nos bastos e outro na gurupa. O quarto, no caso eu, é o suplente, e monta em quaisquer das três modalidade sempre que o titular esteja impossibilitado de o fazer, ou apenas nas últimas noites, quando é dada oportunidade dos que ainda não participaram de montar no festival.

Na nossa delegação vai o caçapavano Felipe Félix para as crinas, e os urugaianenses Leonardo Frazao (o Heré) para a gurupa e o Antônio Almada nos Bastos.

São nove noites de gineteadas, onde cada ginete monta um cavalo por noite. O campeonato é disputado na forma de pontos corridos, onde todos montam do início ao fim. A décima noite é reservada para se alguma das noite não pode ser realizada pelo mau tempo ou por algum outro motivo de força maior. Quando não ocorre nenhum contratempo, a décima noite é feita livre para os ginetes montarem como quiserem.

Como citei anteriormente, o campeonato Internacional é disputado pelos ginetes dos três países convidados mais o vencedor do campeonato nacional do ano anterior de cada modalidade.

Depois desta breve explicação do festival, me despeço por agora, pois em seguida pretendo postar mais informações sobre toda a expectativa que já estamos vivendo, mesmo estando a uma semana da estréia.

Um abraço e um bom ano a todos!

Antonio Blanco
Fonte: Palanque1

Missões podem abrir mercado a SC

A carne suína catarinense poderá conquistar novos mercados nos primeiros meses do ano. A expectativa é de que veterinários japoneses, que visitarão Santa Catarina em março, deem parecer favorável aos controles de fronteira. Segundo o secretário de Relações Internacionais do Agronegócio do Mapa, Célio Porto, o cunho da visita será sanitário. "Se aprovarem, virá missão para habilitar plantas." O Japão é o maior importador de carne suína do mundo e compra 1,2 milhão de t/ano. Para o presidente da Abipecs, Pedro Camargo Neto, a abertura do mercado deve ampliar o volume exportado por SC, mas não estima o quanto. O Mapa prevê, inicialmente, que dez plantas sejam habilitadas.

Em fevereiro, missão da União Europeia também visitará SC para avaliar criação de suínos sem ractopamina, substância usada para elevar o rendimento dos animais. Ainda há expectativa de visita de coreanos até junho. Porto acredita que o Rio Grande do Sul e o Paraná sejam os próximos da fila. Segundo ele, esses estados podem ter mercados de maior expressão se forem reconhecidos livres sem vacinação. "Depois dos casos no RS em 2000, Uruguai e Argentina, não surgiram mais focos. Sinal de que a aftosa está sob controle", ressalta o dirigente.

Fonte: CP