Programação do Rodrio do CTG Os Praianos 2011

Fonte: Site Oficial da Entidade

Shana Muller conquista Açorianos de Música – Gênero Regional – com Disco – “Brinco de Princesa”

Gênero Regional
Compositor – Érlon Péricles por "Brinco de Princesa" de Shana Muller
Intérprete – Shana Muller por "Brinco de Princesa"
Instrumentista – Paulinho Fagundes por "Origens" de Ernesto Fagundes

Disco – "Brinco de Princesa" de Shana Muller

Veja Matéria completa:

Músico recebeu ainda os prêmios de DVD do Ano, Disco de MPB e disco teve ainda o melhor instrumentista

"Délibab", de Vitor Ramil, foi escolhido o Disco do Ano, no Prêmio Açorianos de Música 2010, encerrado no início da madrugada desta quarta no Teatro do Bourbon Country, e que homenageou os irmãos dele, a dupla Kleiton e Kledir. A cerimônia promovida pela produtora Histórias Incríveis teve revisitação de momentos históricos do prêmio, que completa 20 anos. "Muito obrigado, eu não merecia tanto", disse um humilde Vitor Ramil, que levou também o prêmio de DVD do Ano, além de Disco e Instrumentista de MPB (Carlos Moscardini).

A distribuição de mais de 40 troféus passou por nove categorias, sete gêneros da categoria disco, além de homenagens para a dupla Kleiton & Kledir e menções especiais para os produtores Ayrton dos Anjos, o Patinete, e Carlos Branco, o comunicador Glênio Reis, os 60 anos da Ospa e a revista Noize. O Espetáculo do Ano foi o 20º Concerto Oficial dos 60 anos da Ospa, enquanto o Disco Infantil foi "Jogos de Inventar, Cantar e Dançar", de Viviane Juguero e Bando de Brincantes, a Revelação foi Gisele de Santi por "Gisele de Santi" e o Arranjador foi Paulinho Fagundes por "Pedra Moura", que foi melhor Compositor e Instrumentista em Disco Regional.

Nos gêneros da categoria Disco, o Blues/Jazz teve "Meet Yourself", de Fernando Noronha & Black Soul, com quatro prêmios (Disco, Intérprete, Compositor e Instrumentista). No Reggae, a Chimarruts levou quatro prêmios por "Só pra Brilhar": Compositor, Intérprete, Instrumentista e Disco. No Pop/Rock, Bebeto Alves foi o Melhor Compositor e Instrumentista, ficando o Melhor Disco com "Apanhador Só", da banda Apanhador Só. No Regional, "Brinco de Princesa", de Shana Müller recebeu três prêmios: Disco, Intérprete e Instrumentista para Érlon Péricles. Érlon fez questão de lembrar do músico Rui Biriva, falecido na noite de segunda-feira. Ayrton dos Anjos que era amigo e produtor de Biriva também lembrou do amigo e que vai seguir o caminho na música sempre lembrando do amigo. No gênero Instrumental, o Melhor Disco foi "Na Cidade", da Pata de Elefante. No Rap, W Negro levou três troféus por "Portal dos Anjos": Disco, Intérprete e Compositor.


Bebeto Alves foi o Melhor Compositor e Instrumentista na categoria Pop/Rock – Foto: Bruno Alencastro

Acompanhe todos os prêmios:

DISCO DO ANO – "Délibáb" de Vitor Ramil
DVD DO ANO – "Délibáb" de Vitor Ramil
ESPETÁCULO DO ANO – "20º Concerto Oficial comemorativo aos 60 anos da Ospa – 9ª Sinfonia de Beethoven – Regência Isaac Karabtchevsky" de OSPA
DISCO INFANTIL – "Jogos de Inventar, Cantar e Dançar" de Viviane Juguero e Bando de Brincantes
ARRANJADOR – Paulinho Fagundes por "Pedra Moura"
PRODUTOR MUSICAL – Marcelo Fruet por "Apanhador Só" de Apanhador Só
PRODUTOR EXECUTIVO – Andréa Ávila por "Bebeto Alves em 3D" de Bebeto Alves
PROJETO GRÁFICO – Rafael Rocha por "Apanhador Só" de Apanhador Só
REVELAÇÃO – Gisele De Santi por "Gisele De Santi"
CATEGORIA DISCO
Gênero Blues/Jazz

Compositor – Fernando Noronha por "Meet Yourself" de Fernando Noronha & Black Soul
Intérprete – Fernando Noronha por "Meet Yourself" de Fernando Noronha & Black Soul

Instrumentista – Fernando Noronha por "Meet Yourself" de Fernando Noronha & Black Soul
Disco – " Meet Yourself", de Fernando Noronha & Black Soul
Gênero Instrumental
Compositor – Paulinho Fagundes por "Pedra Moura"

Instrumentista – Paulinho Fagundes por "Pedra Moura"
Disco – "Na Cidade" de Pata de Elefante
Gênero MPB
Compositor – Nelson Coelho de Castro por "Lua Caiada"
Intérprete – Gisele De Santi por "Gisele de Santi"

Instrumentista – Carlos Moscardini por "Délibáb" de Vitor Ramil
Disco – "Délibáb" de Vitor Ramil
Gênero Pop/Rock
Compositor – Bebeto Alves por "Bebeto Alves em 3D"
Intérprete – Bebeto Alves por "Bebeto Alves em 3D"

Instrumentista – Yanto Laitano por "Horizontes e Precipícios"
Disco – "Apanhador Só" de Apanhador Só
Gênero Rap
Compositor – W Negro por "Portal dos Anjos"
Intérprete – W Negro por "Portal dos Anjos"

Produtor de Rap – Divox por "Time dos Sonhos – Volume 2"
Disco – "Portal dos Anjos" de W Negro
Gênero Reggae
Compositor – Sander Fróis por "Só Pra Brilhar" de Chimarruts
Intérprete – Tati Portella por "Só Pra Brilhar" de Chimarruts

Instrumentista – Nê por "Só Pra Brilhar" de Chimarruts
Disco – "Só Pra Brilhar" de Chimarruts
Gênero Regional
Compositor – Érlon Péricles por "Brinco de Princesa" de Shana Muller

Intérprete – Shana Muller por "Brinco de Princesa"
Instrumentista – Paulinho Fagundes por "Origens" de Ernesto Fagundes
Disco – "Brinco de Princesa" de Shana Muller

Fonte: Correio do Povo

Entrevista de Lisandro Amaral ao JORNAL RONDA GAÚCHA DE LAGES

Entrevista concedida há uns anos atrás a Patrícia Berlanda do JORNAL RONDA GAÚCHA DE LAGES.

Como entrastes na música?
Deixei que a música entrasse em mim, ouvi o que o campo tinha a dizer e o que eu poderia dizer por ele e em nome dele.

Fala de ti fora dos palcos?
Ainda não me acostumei com a transformação que a música e, em especial, os meus discos fizeram na minha vida, ou seja, a visão que as pessoas têm e esperam de mim não é a mesma que eu estava acostumado… procuro ser o mesmo, e às vezes mais atencioso que antes. Por isso convivo mais com a turma das campereadas mais que com a turma da música, e o lindo mesmo é quando podemos estar todos juntos!!! Tenho o vício de estar a cavalo ou, se possível, perto deles.

O que te fez Ter certeza q era isso q querias?
Tento levar a música de uma maneira natural e tranquila, assim como tudo começou. Arte emocional, pressa e fabricação não podem andar juntas porque não combinam… a certeza que tenho é que devo ter respeito por aquele que ouve e lê o que publico em meu nome e em nome da cultura que represento.

Qt tempo de carreira?
Comecei a escrever com 15 anos (1992) e gravei minha primeira música aos 20 (1997), depois me atrevi a cantar no meu cd (À Moda Antiga 2001) e sem me preocupar com críticos que exigem e rotulam todos que gravam como cantores, aqui estou: consciente dos meus limites e satisfeito com o resultado! Porque na verdade, como escreveu Eron Mattos – o meu verso há de fica pras vindouras gerações que nascerão neste solo…

Qual sua relação com o campo?
Nasci em família humilde residente na cidade e cujo trabalho também estava no meio urbano, mas como Bagé é totalmente rodeada de campo e tem no campo a principal fonte de renda, aos 11 anos em passeios a estâncias de amigos, comecei a conviver com detalhes, costumes e principalmente imagens do cotidiano campeiro. Principalmente o domador de cavalos pra serviços de campo. Nunca mais me afastei do campo nem ele de mim!

Sua identidade musical referências gostos?
Uma criança sofre várias influências até definir sua identidade, ou seja, seu estilo musical preferido. Tive a sorte de me deparar imediatamente com o verso dos poetas Jaime Caetano Braun, Aureliano de Figueiredo Pinto e a melodia totalmente regional do cantor e compositor Noel Guarany. Daí em diante, fui arquivando inconscientemente meu vocabulário crioulo, tendo nestes artistas a importante noção de autenticidade e compromisso com o lugar onde nasci e a partir dali começaria a representar também em forma de verso, opinião e melodia.

Como funciona a relação musico-rádio?
Não sou de andar pedindo bolada, mas sempre que me é dada a oportunidade de falar numa rádio, peço ajuda aos radialistas e produtores. Não para tocar a minha música pra que o meu cd seja vendido, mas sim para que sejam selecionadas com mais seriedade as músicas que principalmente as crianças ouvirão em casa e terão como referência de música gaúcha. Desculpem a franqueza mas tem muita gente atrás dos microfones mais por vaidade do que por compromisso e vocação!

Relação com novos compositores?
Sempre gostei que os meus conselheiros fossem sinceros comigo, e eles foram! Isso me tornou autocrítico, e sincero demais na relação com novos compositores, classe ao qual ainda faço parte, porém é uma questão delicada porque sou muito exigente no que escuto e a minha opinião, quando solicitada¸ pode ser dura demais e não soar bem aos ouvidos de quem busca tapinhas nas costas…
– Aquela conversa de “ que bonitinho o teu verso segue assim que tu vai bem” pode levar alguém com talento a lugar nenhum!

Em quem apostas?
A renovação é grande, porém ainda confusa! Prefiro apostar em quem chega sem pretensões de sucesso, palavra que não gosto, e que se torna mais perigosa quando falamos de arte.

Acreditas nas críiticas do mesmismo nos festivais? Falamos sempre dos mesmos temas, graças a riqueza do universo gauchesco, porém, os músicos precisam trabalhar, a maioria das cidades quer ter e às vezes tem o seu festival, quantos compositores neste momento estão trabalhando uma nova música? Não sei até onde vamos…

Cd novo

Tenho projetos importantes para este ano ainda em breve teremos notícias.

Mensagem

Fisicamente somos todos passageiros… nossos gestos é que ficam, registrados para os que virão! Sobreviver é necessário, mas viver é o mais importante…

Internet

Muito importante tenho galopeado longe no lombo dela!!!

Eron Vaz Mattos

O homem mais digno que já conheci.

Cristian Camargo

O capincho meu cumpadi.

Marcelo oliveira

Já escrevi tudo no cd dele comprem e leiam depois botem o cd fora.
BRINCADEIRA

Leonel Gomez

Não deu bola para a crítica, cantou com sinceridade e está na alma de quem sabe ouvir!!!

Guilherme Collares

Temos muito em comum e muito em "incomum"! Nos juntamos quando o tempo pede e nossas almas precisam falar juntas…

Festivais 1ª e qts musicas?

Primeira Um Regalo pra Don Mattos –Comparsa de Pinheiro Machado (1999) melodia do Cristian cantada pelo Jari Terres. Quantas tenho? não sei! prometo contar um dia.

Planos pro futuro?

"Vamos devagar e sempre que a jornada é longa e o tempo não cansa"

Música fronteiriça?
Tento representar a minha fronteira (Brasil – Uruguai) temos que conservar a sonoridade dela.

Vida peregrina? Se eu pudesse ir cantar a cavalo estaria mais feliz, mas chegaria sempre atrasado!

Comida? Gosto muito de cozinhar tanto que engordei 5 quilos depois que saí do quartel. Meu prato é carreteiro de churrasco. Ainda bem que tu não perguntou da bebida!!!

Msg aos novos compositores q ainda não conquistaram seu lugar ao sol:
Responsabilidade para que possam olhar para trás e sentir orgulho de si!

Literatura

Aparício Silva Rillo, Aureliano de Figueiredo Pinto, Osires Rodríguez Castillos, Eron Vaz Matos, Pedro Ivan de Martins e Castro Alves…

À Moda Antiga, Querência e Caminho, Razões de Ser:

À moda antiga meu grito querendo apenas cruzar,
Querência e caminho um gesto de alguém cantando o viver
E agora eu tenho um pedido a quem quiser me escutar
Que beba o que teimo e trago na minha razão de ser!

Inspirações para compor?

Sempre uma imagem repentina e uma vontade de fazer o tempo parar, mas como o tempo não pára, vou ao tempo que a imagem pede e falo por ela…

Os nomes que usas existem?

Alguns como: Alencastro, Gracilhano, Leovegildo, Altamir e Minga Blanco ainda vivos e a cavalo, outros devem ter vivido como Marculino e Don Simão. Quem sabe?

Temas de guerra

Pra quem acredita há uma explicação espiritual que um dia mateando eu conto a quem quiser perder um pouco de tempo comigo…

Saudades de um tempo de outrora?
Com certeza vivemos e viveremos outras vidas devo ter deixado muito de bom nas vidas que já vivi…
maria+rita+otonal.jpg
jo%25C3%25A3o+foto+ateixera.jpg
Fonte: Blog do Cantor – Diário do Andante

Homenagem a Rui Biriva – Por Cesar Oliveira

Cantar é preciso…

…para viver e amar

Um cantor, trovador, instrumentista… um artista, muitos dizem que são seres humanos que estão mais próximas de Deus, se é mesmo, não sei, quem sabe um dia saberei…

Sei sim, que estes são na vida terrena abençoados com o dom de encantar, de levar alem fronteiras a língua que o mundo todo se identifica, escuta, aplaude, chora, ri… extravasa. Este dom para muitos é dado em demasia, outros menos, mas poucos o respeitam e usufruem, pois não possuem a sapiência de que este dom não é seu e sim da vida, do mundo.

Quando um destes “seres de luz” se destaca, ele destaca a força divina, ele representa através deste dom, a natureza, os povos, a angustia de muitos e a alegria de tantos. É certamente um mensageiro que sustenta a magia de corações apaixonados e acalanta a tristeza de corações mutilados…

É um mensageiro que em segundos atravessa oceanos, e entrega através da sonoridade de seu dom, seu comunicado.

Sendo assim, te peço amigo Rui: Entrega lá em riba esta mensagem do povo Riograndense:

– “Patrão”, esta chegando em sua estância um peão deste Rio Grande, um Gaúcho guerreiro que através do canto desbravou e elevou nossa pátria. Ele chegará com um riso largo, jeitão pacholento, facilita toma conta e forma um fandango e ao encontrar São Miguel, é capaz de “prendê” o grito: – Tchê loco!!!! Por onde andastes??? Peleador como tu não se viu…. Mas não se assuste, ele é assim mesmo, por onde passou deixou alegria, amigos, admiradores e eternos seguidores. Foi um desbravador que abriu picadas para muitos que hoje percorrem o mesmo caminho que seus pés socaram o trilhado.

– Este “peonaço” deixou saudades meu “Senhor”, mas nos deixou sua mensagem, de paz, alegria de vida e de luta pela mesma.

– Ele é um exemplo de respeito pela vida, a qual devemos viver intensamente, pois é curta e se acaba. Deixou a mensagem de que devemos cuidar dos nossos e dos outros também… e ele soube muito bem realizar tal tarefa.

– Bueno, só te peço mais uma coisinha…. – Vez por outra “Patrão”, envia-nos noticias deste “amigaço”, quem sabe através de um raio de sol tão embriagado de luz como seu sorriso, ou que sabe num sopro de vento que traga a sonoridade de sua voz, e junto dela a mensagem que diz:

– Cantar é preciso… para ser eternamente vivo.

Obrigado amigo Rui Biriva por toda alegria que nos deixastes, agora por favor alegra este “Patrão” que esta tristonho com seu povo, mas diz pra ele que sempre nos resta esperança, e tu nos ensinastes isso.

César Oliveira

Entrevero Cultural com César Oliveira & Rogério Melo, Joca Martins e Juliana Spanevello

Entrevero Cultural com César Oliveira & Rogério Melo, Joca Martins e Juliana Spanevello

César Oliveira & Rogério Melo e Fnac Porto Alegre convidam para o lançamento do projeto “Entrevero Cultural 2011”. Ampliando a proposta do evento que conquistou público cativo em 2010, o dueto passa a receber convidados para falar de diversas áreas da Cultura Tradicionalista, abrindo espaço para outras manifestações além da música. Os encontros seguem sendo realizados a cada dois meses, sempre com direito à canja musical, que nesta edição fica por conta dos cantores Joca Martins e Juliana Spanevello.

Dia 28/04, quinta-feira, às 19h30, no Fórum Fnac (Barra Shopping Sul) –


EVENTO COM ENTRADA FRANCA

Mariana Pires
Asse.Imprensa & Produção Executiva
Fone: 51. 9822.9151
www.cesarerogerio.com.br
www.twitter.com/cesar_rogerio

Rui Biriva é velado na Câmara de Vereadores

Cantor e compositor morreu na noite dessa segunda-feira

O tradicionalista Rui Biriva, de 53 anos, que morreu na noite dessa segunda-feira, é velado no Plenário Otávio Rocha da Câmara de Vereadores de Porto Alegre. A cerimônia ocorrerá até as 13h. À tarde, o corpo seguirá para Horizontina – na Grande Santa Rosa -, cidade natal do músico, onde ele será sepultado em solenidade aberta ao público. Biriva, que deixa a esposa, Priscila, e o filho adolescente, Jerônimo, estava internado há 15 dias no Hospital de Clínicas, onde tratava um tumor no intestino grosso.

Entre os maiores sucessos da carreira de Rui Biriva estão "Tchê Loco", "Santa Helena da Serra", "Birivas", "Festança", "Pé na Estrada", "Amigo", "Vamo Pegá", "Castelhana", "Quebrando Tudo", "Canção do Amigo", "Das Bandas de Horizontina" e "Tonto de Saudade". Cantor e compositor, Rui Biriva teve algumas de suas obras gravadas por Dalvan, Daniela Mercury, Os Nativos, Os Serranos, Osvaldir e Carlos Magrão, Gilberto e Gilmar, e Gaúcho da Fronteira. Gremista, Biriba mostrou sua paixão pelo clube em uma canção que compôs em 2009, na música "Força Azul".

O sucesso e o apelido, Biriva, vieram na década de 80. Em 1981 foi convidado pelo prefeito de Horizontina, Irineu Colato, seu professor na escola, para virar seu assessor em Brasília, depois que este se elegeu deputado federal. Logo depois, porém, o músico desistiu de trabalhar na capital federal, e pediu para ser transferido para Porto Alegre. Na Assembléia Legislativa, foi convidado a interpretar a música Birivas, na 4ª Seara da Canção, em Carazinho, em 1984. Aliada à interpretação do cantor, a composição vence a linha Galponeira do festival, e Biriva leva o prêmio de melhor intérprete do evento e o novo batismo, com seu nome associado à canção.

Em 1986, recebeu o primeiro convite para trabalhar com uma gravadora nacional. Com a Continental, lançou seu primeiro álbum. No mesmo ano, obteve importantes prêmios em festivais nativistas, entre eles Califórnia, Tertúlia, Musicanto, Seara e Coxilha.

Fonte: CP

Programa da Semana

Pedro Ortaça na 1ª Semana Missioneira

fotocapa.jpg

Celebrar a história e a contribuição cultural dos guaranis em todo o Rio Grande do Sul. Esse é o objetivo da 1ª Semana Missioneira, que acontece de 19 a 25 de abril em diversos municípios do Rio Grande do Sul. O evento é uma iniciativa do Instituto Pró Memória Sepé Tiaraju, com o apoio da Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (IGTF), e visa também promover a conscientização sobre a importância dessa herança para o Estado. Para isso, foi elaborada uma programação que inclui várias ações envolvendo diretamente a comunidade. A agenda inclui apresentações artísticas, exposições, palestras, debates, demonstrações de experiências agrícolas, celebrações de missas, cavalgadas e desfiles.

Programação

18/04 – 10h – Alegrete – Tombamento mangueirões

18 a 19/04 – 18h – São Gabriel – Largadas e benção do bispo Dom Gilio

19/04 – São Miguel – Encontro de lideranças guaranis –

19 a 25/04 – Sete Povos/Vera Cruz – São Gabriel/Vera Cruz – Tabai/Vera Cruz – cavalgadas, canoagem e bicicletada

20/04 – 20h – Porto Alegre – Show de Pedro Ortaça

21/04 – Porto Alegre – Seminários sobre temas missioneiros e publicações

19h30 – Porto Alegre – Curso de guarani
– Porto Alegre – Desagravo guarani

23/04 – São Luiz Gonzaga – Colocação de placas missioneiras

24/04 – 10h – São Nicolau – Desfile de gado orellano com lançamento e tombamento 10h – Rio Pardo – Colocação de placas e cruzes missioneiras
11h – São Nicolau – Tombamento das ruínas de São Nicolau

25/04 – Porto Alegre – Herança missioneira na atualidade no RS Porto Alegre – Culinária e jujos (chás)
10h – Vera Cruz – Colocação de placas e cruzes missioneiras –
10h – Vera Cruz – Missa crioula
À noite – Rio Pardo – Encerramento oficial – show de Antonio Gringo e Os Curumins Guaranis

Fonte: assessora de Imprensa Rita Escobar, Blog Identidade Campeira e Blog Prosa Campeira

O Tempo e o Vento com gravações em Pelotas

Tempo+e+o+vento.jpg

O que antes era apenas especulação acaba de ser confirmado. Pelotas servirá de locação para o filme O Tempo e o Vento. A garantia de que, pelo menos, algumas cenas serão gravadas na cidade foi feita pelo diretor Jayme Monjardim, que se reuniu com o secretário de Turismo, Eduardo Macluf, no início da tarde desta quinta-feira (14).

As gravações da obra baseada na trilogia de Erico Veríssimo estão programas para iniciar em março do ano que vem. Conforme Macluf, Pelotas foi escolhida pelo cenário das fazendas, charqueadas e conjunto de prédios históricos. Agora falta apenas a definição de onde será construída a cidade cenográfica – no caso, a Santa Fé idealizada pelo escritor gaúcho. Monjardim mantém contato direto com o governo do Estado para que a escolha do município sede seja feita em conjunto.

O Tempo e o Vento chegará aos cinemas na metade de 2012 e à televisão, em forma de minissérie, no final do ano que vem. Na pele do Capitão Rodrigo, Thiago Lacerda e as duas fases da personagem Ana Terra serão divididas entre Glória Pires e a filha Cleo Pires. Fernanda Montenegro viverá Bibiana. Completam o elenco nomes como José Mayer, Tarcísio Meira, Mateus Solano e José Vitor Castiel.

Joice Bacelo Diario Popular – Pelotas
Fonte: Blog do Rogério Bastos

Com tumor no intestino, Rui Biriva está internado no Hospital de Clínicas

Músico nativista está sendo submetido a tratamento de controle de dor

O músico nativista Rui Biriva, 53 anos, está internado no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) desde a última quinta-feira para tratamento de um tumor no intestino grosso. De acordo com a assessoria do hospital, o artista está passando por processos de controle da dor e de ajuste da hidratação e da nutrição e não tem previsão de alta.
Fonte: CP
Músico nativista está sendo submetido a tratamento de controle de dor
Crédito: Divulgação / CP Memória

Tropeada Crioula Lageana

"Nossa Equipe Chão Farrapo que além de viver esta emoção, juntamente com 15 empresários de nossa região que nos acompanharam nesta empreitada, registrou tudo e com muito cuidado haverá de editar uma série importante, que se traduzirá num verdadeiro documento a ser exibido pela televisão, através da RIC RECORD e TV da Cidade, além de ganhar o mundo pela internet. Voltamos de Lages, com uma profunda consciência do dever cumprido por ter resgatado importante faceta de nossa história tropeira em solo catarinense."
Lena Souza

Fonte: Pulperia

Lisandro Amaral em SC no CTG Os Praianos

8a Galponeira de Bagé – Resultado

RESULTADO:

1º Lugar

OS OLHOS SOB O CHAPÉU
Letra: Vasco Velleda – Bagé
Música: Paulo Timm – Jaguarão

2º Lugar

COISAS DE FRONTEIRA
Letra: Davi Teixeira – Porto Alegre

Música: Matheus Alves – Porto Alegre

3º Lugar

E SE BOLEOU…
Letra: Francisco Brasil
Música: Rodrigo Tavares

Música Mais Popular

DEBOCHADO (Letra: Severino Rudes Moreira / Música: Zulmar Benites)

203 VOTOS (de 441 votos)

Melhor Instrumentista

ZELITO RAMOS (Violino)

Melhor Intérprete

PIRISCA GRECCO

Melhor Letra

OS OLHOS SOB O CHAPÉU
Letra: Vasco Velleda – Bagé

Música: Paulo Timm – Jaguarão

Melhor Melodia

COISAS DE FRONTEIRA
Letra: Davi Teixeira – Porto Alegre
Música: Matheus Alves – Porto Alegre

Melhor Arranjo

OS OLHOS SOB O CHAPÉU

Letra: Vasco Velleda – Bagé
Música: Paulo Timm – Jaguarão

*Colaboração: Tiago Cesarino
Fonte: Blog Pulperia

Terneiros serão certificados

Teve início neste fim de semana um projeto piloto para certificação de terneiros das raças Hereford e Braford que forem à venda em feiras oficiais. O objetivo é apontar os lotes aptos a participarem do programa Gado Pampa Certificado, da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB). Na primeira ação, em Santa Vitória do Palmar, 500 exemplares foram revisados e avaliados pelos técnicos do programa, nas mangueiras da feira. Os aptos receberam o brinco de identificação do programa, que garante o enquadramento automático numa das formas de remuneração bonificada nas quatro plantas do Frigorífico Marfrig (Alegrete, Bagé, Capão do Leão e São Gabriel), e no Frigorífico Silva (Santa Maria). O presidente da ABHB, Fernando Lopa, explica que a certificação foi pedida pelos núcleos regionais. "Em um só lugar, podemos avaliar e identificar um grande número de animais dentro dos rigorosos padrões de qualidade e sanidade do nosso programa." Também haverá ações em Lavras do Sul, Santana do Livramento, Bagé e Alegrete.
Fonte: CP

É triste apertar os arreios na hora da despedida

Buenas amigos ouvintes e a toda a parceria que acompanha o Linha Campeira.

Como diz o poeta, “é triste apertar os arreios na hora da despedida”. Essa a notícia que ninguém quer dar, mas temos que ser verdadeiros e corretos com os nossos ouvintes. O Linha Campeira está encerrando uma fase e sairá do ar por tempo indeterminado, por motivos diversos, mas principalmente por inviabilidade de manter o projeto em função de outras atividades profissionais dos maiores envolvidos em toda essa linda história que fizemos juntos.

O programa não será exibido a partir do dia 06/03/2011, mas manteremos este canal de comunicação pelo www.linhacampeira.com.br

 Agradecemos o apoio recebido pela FurbFM, empresários, artistas e ouvintes durante os últimos 3 anos dessa lida domingueira.

 Entretanto, se é para se despedir, que seja com chave de ouro. O programa Linha Campeira juntamente com o CTG Rancho da Tradição e Bruneti Discos irá promover o show de Luiz Marenco em Blumenau, conforme cartaz abaixo: 

Luiz Marenco em Blumenau

Não deixem de acompanhar o site do Programa. Para escutar programas antigos, procure a esquerda do site, em categorias, Ouça Programas Antigos. São 71 programas a sua disposição. 

Que o patrão véio lá de cima esteja sempre conosco!!!
Linha Campeira
O teu companheiro de Churrasco

Rodeio Internacional de Pelotas ocorre no Parque Morada do Sol

Além de provas, rodeio conta com programação cultural

A 12º edição do Rodeio Internacional de Pelotas ocorre de 15 a 17 de abril, no Parque de Eventos Morada do Sol. São 3 dias de muita gineteada, música, festa e diversão. A edição deste ano conta com mais uma etapa do projeto de reestruturação do Parque de Eventos concluída. O Galpão de Shows, tem uma estrutura completa e, agora, pronta para receber diversos shows e apresentações artísticas.

Os ingressos custam R$ 8 até às 18h e R$ 12 após este horário. O passaporte ou acampamento para os três dias custa R$ 30. Crianças até 10 anos não pagam para entrar.

Confira a programação completa abaixo:

Sexta-feira – 15/04
• 08h – Abertura dos portões;
• 12h – Abertura da Choperia e Parrilla Mallorca para almoço;
• 13h -Início do LEILÃO da prova de Gineteada de Rédea;
• 14h – Início das Provas de Gineteada de Rédea;

• 18h – Abertura da Choperia para Happy Hour;
• 19h – Show Nativista na Choperia Mallorca – Rodrigo Madrid;
• 20h – Jeferson e Banda – Choperia Mallorca;
• 22h – Início da Bailanta com Grupo Tchê Bagual – Galpão de Shows;

• 0h – Entrega da premiação da Gineteada em Rédea – MOTO HONDA 0KM;
• 1h – INÈDITO: Show com a Dupla Sandro e Cícero – Sertanejo Universitário – Galpão de Shows.

Sábado – 16/04
• 08h – Abertura dos portões para credenciamento dos Ginetes inscritos na Prova Espora de Diamante;
• 12h – Abertura da Choperia e Parrilla Mallorca para almoço;
• 14h – Início das Provas de Gineteada em Pelo – Prova Espora de Diamante;

• 18h – Início da Bailanta com Grupo Tchê Bagual, Entrecot, Sente o Clima e APV – Salão Antigo;• 18h – Abertura da Choperia para Happy Hour;
• 19h – Show Nativista na Choperia Mallorca – A Meia Espalda;
• 20h – Jeferson e Banda – Choperia Mallorca;

• 22h – Início da Mega Festa Degrau Sertanejo – Galpão de Shows;
• 0h – Anúncio dos Ginetes Classificados para a Final da Prova Espora de Diamante;

Domingo – 17/04
• 12h – Abertura da Choperia e Parrilla Mallorca para almoço;
• 14h – Início da Final das Provas de Gineteada em Pelo – Espora de Diamante;
• 16h – Início da Bailanta com Grupo Tchê Bagual, Expresso da Vanera, Aih Pod, Jeff e Banda – Salão Antigo; • 19h – INÈDITO – Show com o Expoente da Música Campeira do RS MANO LIMA – Galpão de shows

• 20h – Jeferson e Banda – Choperia Mallorca;
• 21h – Entrega da Premiação da Prova Espora de Diamante – Um Carro 0KM e uma Moto 0KM.

Fonte: ClicRBS

Diário do Andante – Lisandro Amaral

Fonte: Diário do Andante

Melhoria na qualidade da carne bovina é discutida na ExpoLondrina

Produção com qualidade foi o foco principal nos debates e palestras do setor de carne bovina da feira

Renata Ryff Moreira | Londrina (PR)

No sexto dia da ExpoLondrina, no Paraná, as atenções se voltaram para o mercado de carne bovina. O assunto foi o mesmo em diferentes partes da feira. É preciso modernizar as propriedades para obter um rebanho de qualidade e que atenda o consumidor interno e externo.

É preciso produzir com qualidade. Este foi o foco principal nos debates e palestras do setor de carne bovina. O objetivo é mostrar para o produtor que investir em tecnologia é fundamental para um retorno na propriedade. A Associação Brasileira de Angus proporcionou a discussão sobre o assunto.

– O grande tema no momento é a produção de carne de qualidade. O Brasil não pode mais ficar produzindo carne em commodities e a demanda do consumidor é tão forte que este tipo de produto não chega nem perto do que o consumidor quer do mercado interno e externo. Nós temos o mercado mais exigente do mundo – disse o médico veterinário Fábio Shuler Medeiros.

O presidente da Associação Nacional de Produtores de Bovinos de Corte aproveita o bom momento da agricultura no Brasil para usar como exemplo a importância de tecnificar a propriedade rural.

– Toda cadeia tem que aplicar tecnologia, e a cadeia ainda não está nesta fase. Existe um comparativo, a agricultura teve um crescimento extraordinário da década de 80 para cá e a pecuária não acompanhou no mesmo ritmo então agora está querendo se desenvolver o ritmo da pecuarista aplicar tecnologia. Nós queremos embarcar nesta situação para que o pecuarista invista em tecnologia e possa melhorar a taxa de desfrute, melhorar a qualidade do rebanho dele e com isso levar uma condição de competitividade tanto no mercado interno quanto no mercado externo – disse o presidente da Associação Nacional de Produtores de Bovinos de Corte, José Antônio Fontes.

Com a modernização, o produtor consegue abater um animal com um bom peso em um menor espaço de tempo, além de diminuir o custo de produção e agregar qualidade ao produto final. As vantagens da ultrassonografia de carcaça foi um dos temas que mais chamou a atenção no local. Através desta tecnologia, é possível identificar com segurança e precisão a qualidade do animal para a precocidade e qualidade da carne.

– A ultrassonografia a gente consegue fazer no sobreano e até na desmama, então a gente consegue identificar um animal superior para as características dentro de cada propriedade. No caso da avaliação na desmama a gente consegue identificar em um ano a tomada de decisão se o animal fica ou não. Até em confinamento a gente tem dados de redução de custos, só com diárias de alimentação, fora o que o frigorífico tiver bonificação por padronização varia de R$ 30 a R$ 60 por cabeça abatemos 8,2 milhões de cabeças. Nós temos uma taxa de desfrute ao redor de 22, 23 como mostrou uma palestra, e eles têm quase 40 – disse a zootecnista Ana Carolina Marques.

A atração ficou por conta da vitrine da carne. Em uma desossa em pleno parque de exposições é possível mostrar para o pecuarista que um boi de primeira não produz carne de segunda. Além de mostrar para o consumidor que um belo corte na carne é fundamental. O que pode ser considerado carne de segunda muitas vezes é um produto valorizado.

Fonte: CANAL RURAL

Mais prazo para pagar terneiros

Pecuaristas gaúchos terão prazo extra para aquisições de gado nesta temporada. O Banco do Brasil (BB) anunciou ontem, durante o lançamento do calendário de feiras de outono da Associação dos Núcleos de Produtores de Terneiros de Corte da Região Sul (ANPTC-Sul), na Capital, que o financiamento foi dilatado de três para cinco anos. A ampliação foi garantida por um aditivo ao convênio firmado entre BB, Farsul e Casa Rural na Expointer 2010 com validade até junho e que destina R$ 100 milhões para todas as mostras oficiais no Estado. Segundo o gerente de Agronegócio do Banco do Brasil, José Comerlato, as parcelas serão anuais, com possibilidade de carência com análise individual. Já o limite por produtor será de R$ 200 mil com teto de 90% da compra. O Banrisul anunciou R$ 70 milhões para 110 feiras de outono. Cada produtor pode financiar até R$ 100 mil, com taxa de juros de 6,75% ao ano. O prazo é de até 36 meses para matrizes e reprodutores bovinos e de até 24 meses para os demais animais. O Sicredi também terá crédito, mas não divulgou cifras.

Segundo o presidente do ANPTC-Sul, Max Garcia, até ontem 11,7 mil animais foram inscritos nas seis feiras e, com o mercado aquecido, o preço do quilo do terneiro em pista deve girar entre R$ 3,70 e R$ 3,80. O bom momento da pecuária também foi destacado pelo vice-presidente da Farsul, Gedeão Pereira. Nos último três anos, os remates da ANPTC-Sul venderam 50 mil animais, movimentando R$ 27 milhões, fruto de critérios rigorosos de seleção. Neste ano, apesar das novas regras que reduziram o peso mínimo dos animais devido à seca, o circuito da ANPTC-Sul exigirá 150 quilos para machos, e não 140, conforme definiu a Seapa.

Fonte: CP

Entrevista com Marcelo Caminha

por Leonardo Gadea – 13 / 11 / 2010 – Bastidores da 18ª Tertúlia da canção nativa

Entrevista concebida exclusivamente para o www.pulperia.blogger.com.br

Sobre a participação na 18ª Tertúlia?

Estamos na noite final da 18ª Tertúlia, um festival do qual nunca tinha participado, comecei numa época muito boa dos festivais na década de 85, quando a Tertúlia estava ao meu ver no seu auge, na época da 5ª ou 6ª Edição mais ou menos, quando saíram aqueles LPs com músicas que se tornaram mais conhecidas, aquilo ali pra mim foi um marco muito importante porque os LPs dos festivais eram muito importantes. Naquela época lembro que a gente adquiria os LPs e ficava ano inteiro escutando, tirando as músicas, tentando conhecer os artistas que até então estavam ali e aos quais não se tinha acesso porque éramos iniciantes. A partir da década de 90 comecei a trabalhar efetivamente nos festivais como instrumentista e também como compositor, mas sempre focando na premiação de melhor instrumentista dos festivais, hoje acumulo seguramente mais de 50 premiações de melhor instrumentista nesse período que participei dos festivais. Entre 1990 e 2005 participei de quase todos os festivais e em dezembro de 2005 na Califórnia participei pela última vez concorrendo em festival, porque resolvi parar um pouco de participar como concorrente.

Mas quando fiquei sabendo do ressurgimento da Tertúlia eu não sei porque cargas d’água me deu um estalo de mandar uma música pra triagem, e essa música que enviei estava nesse período sendo gravada pro disco do Pepeu Gonçalves este que a interpretou aqui no festival, é uma parceria minha e do Gujo Teixeira e tem por título “Chamando a Cria”; tocaram os músicos Maykell Paiva – Violão, Felipe Alvares – Contrabaixo , Marcelo Caminha Filho – Percussão, Eu – Violão.Então estávamos mixando, colocando arranjos e voz nessa música pro disco do Pepeu e tal, daí pensei vou mandá-la, mas aquela coisa, nem dei muita bola porque não temos essa pretensão de que tudo que é música vai passar, até nem lembrava que tinha mandado porque são tantas coisas, compromissos. Daí passou e recebemos essa notícia muito felizes, então pensei em nos organizarmos dentre tantos compromissos e shows pra vir participar. Então eu acho que a Tertúlia é um festival que estava fazendo falta neste cenário dos festivais, como um dos esteios dos festivais, porque se não me falha a memória ela é o terceiro festival mais antigo do estado (primeiro é a Barranca e segundo a Califórnia). Enfim é um festival que tem a sua importância, que tem na sua história grandes músicas como “Canto Alegretense” por exemplo, uma das músicas mais representativas do Rio Grande do Sul, saiu desse festival; então estamos muito felizes por esse festival ter voltado e esperamos que a comunidade santamariense entenda sua importância e, principalmente as próximas administrações que virão, espero que seja do conhecimento delas que o festival é importante pra que a cidade mantenha esse festival.

E sobre teus trabalhos no exterior (Europa) como é a receptividade do público nos outros países com a música regional gaúcha?

A experiência que tive com a música gaúcha fora do Brasil é que a nossa música é muito pouco conhecida como música brasileira, ela é mais conhecida como música Argentina e Uruguaia; eu estive na Alemanha, Inglaterra e Portugal foram as três oportunidades que tive de ir lá pra Europa e muito poucas pessoas sabem que esta música que a gente faz com essa cara do folclore pampeano, latino, mais latino do que propriamente brasileiro ela é feita no Brasil, existe muito essa coisa de não entenderem que são brasileiros que fazem esse tipo de música porque eles acham que só se toca samba aqui no Brasil.

Mas essas oportunidades que surgem eventualmente de sair do Brasil e até sair daqui do Estado, são oportunidades que acontecem, mas eu tenho muito de valorizar o nosso público do Rio Grande do Sul e aqui do sul do Brasil, eu já diria do Sul do Brasil porque hoje temos três estados que são irmãos de cultura, não é só o Rio Grande do Sul. E o trabalho que tenho feito, tem sido efetivo em cima desse público.

E os discos? E outros trabalhos?

Eu tenho 12 anos de carreira solo, com discos gravados (instrumentais) e agora este ano lancei um DVD que é um curso de violão (vídeo/aula) mostrando como toco os ritmos gaúchos no violão. Esse trabalho se encontra na loja virtual do site www.marcellocaminha.com ou comigo nos shows, são as únicas formas de adquirir esse material porque é de produção própria, porque em 2008 quando lançamos o CD Influências, achamos que não era mais coerente trabalharmos com gravadoras, então saímos da gravadora que até então havia lançado meus 8 discos anteriores e viramos gravadora Caminha Produções Artísticas e estamos indo muito bem assim, porque o pessoal entende e o comércio pela internet está crescendo muito.O próprio acesso aos blogs está crescendo muito, aos sites, à informação, eu aposto muito na internet como meio moderno de troca de informação, aliás, aposto tudo praticamente nisso aí, acho que não temos mais como não entrarmos nesse mundo das redes sociais, inclusive tenho um blog também que mantenho com orientações específicas sobre o DVD (vídeo/aula) que é um material didático e neste blog se encontram complementos para o DVD mostrando, cifras, partituras e tablaturas. Enfim, temos feito vários shows de lançamento desse trabalho inclusive aqui em Santa Maria no Teatro Treze de Maio mês passado, estamos com uma turnê de 12 shows marcados em janeiro e fevereiro pelos 3 estados aqui do sul (Paraná e Santa Catarina) então estamos muito felizes nesse trabalho, e paralelo a isso tenho o trabalho com o César Oliveira e Rogério Melo que venho fazendo, que é um trabalho bastante intenso de volumes de shows e viagens e eu me entretenho nessa atividade musical entre esses 2 trabalhos, por esse motivos me ausentei um pouco dos festivais, pra apostar mais nesses trabalhos de palco, nesses shows.

Para finalizar, o que tens a dizer aos leitores do PulperiaBlogger e admiradores da música gaúcha?

Eu tenho um carinho muito grande pelo público gaúcho, pelas pessoas que entendem e sabem escutar a nossa música, que eventualmente escutam outros estilos de música (nada contra outros estilos de música, que estão tomando conta por aí afora), mas eu tenho um orgulho muito grande desse nosso público, que prestigia, respeita e que entende a forma que a gente se manifesta musicalmente, eu sempre digo que para nós artistas o grande patrimônio é o nosso público, cada dia que passa a gente vai aumentando esse patrimônio, conhecendo pessoas, fazendo novas amizades, as pessoas vão tomando conhecimento do trabalho que a gente faz , isso aí eu acho que é o maior fruto que a gente colhe do trabalho de muitos anos que a gente vem fazendo.

Fonte: Blog Cultura in Prosa

« Older entries