Final do Freio de Ouro 2011 consagra estreantes e multicampeões na Expointer

Trinta anos da prova máxima da raça crioula foi comemorado em alto estilo

Caio Cigana | caio.cigana

Principal atração no primeiro final de semana da Expointer, o Freio de Ouro celebrou os 30 anos da prova máxima da raça crioula em alto estilo. Foi uma final com vitórias à altura dos antepassados que corriam nos pampas e cordilheiras sem aramados do continente e, enfrentando o clima hostil do Cone Sul americano, forjaram o cavalo crioulo.

A saga que uniu homens e animais na histórica 30ª edição do Freio laureou cabanhas consagradas e novatas, ginetes multicampeões e que saborearam a primeira vitória. Maior vencedora, a Cabanha Santa Edwiges levou para casa o seu sétimo troféu dourado.

>>> Veja todos os vencedores

Com o cavalo Feriado de Santa Edwiges, premiado pela regularidade e erros dos concorrentes na última paleteada, o criatório de São Lourenço do Sul ganhou pela primeira vez correndo com machos. O cartel, porém, não cortou a vibração.

— O sentimento é o mesmo. Sempre é emocionante — garantia o proprietário da Santa Edwiges, Daniel Anzanello.

Entre as fêmeas, o primeiro lugar teve uma mistura de sotaque carioca e uruguaio. Com a égua RZ Reclusion da Carapuça — que obteve a vaga na final apenas na repescagem —, a cabanha Profecia, de Parobé, conquistou o Freio logo na primeira vez na disputa.

O criatório pertence aos uruguaios Jorge e Leandro Purcallas, pai e filho, que se renderam à paixão pelos cavalos crioulos há apenas seis anos no Rio de Janeiro, e há somente um ano e meio mudaram-se para o Rio Grande do Sul.

— Sempre fomos apaixonados pela raça. O crioulo é incomparável — derramou-se Leandro, com o típico chiado carioca, mas de botas e bombachas.

Novato no pódio

Uma lembrança veio a Cézar Augusto Freire logo após conquistar pela primeira vez o lugar mais alto do pódio. Antes do início da final, uma das homenagens prestadas Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) era para os ginetes que já venceram a competição em seus 30 anos.

— Quando passaram por mim no desfile, todos disseram: ‘tá faltando tu aqui’. Isso deu uma emoção maior — relatava, emocionado e coberto de barro.

Leia a reportagem completa na Zero Hora desta segunda-feira.

FÊMEAS

Ouro

RZ Reclusion da Carapuça

Cabanha Profecia, Parobé (RS)

Ginete: Cézar Augusto Schell Freire

Nota: 20,967

Prata

Fantasia Cala Bassa

Cabanha Cala Bassa, Aceguá (RS)

Ginete: Marcelo Rezende Móglia

Nota: 20,800

Bronze

Capanegra Jocasta

Cabanha Capanegra, Dom Pedrito (RS)

Ginete: Lindor Collares Luiz

Nota: 20,099

MACHOS

Ouro

Feriado de Santa Edwiges

Cabanha Santa Edwiges, de São Lourenço

do Sul (RS)

Ginete: Milton Castro

Nota: 20,107

Prata

JCL Descuido

Condomínio Descuido, Cabanha São José

e Gilbert Munhoz, de Butiá (RS)

Ginete: Maurício Niquel

Nota: 20,095

Bronze

RZ Revuelto Cristal da Carapuça

Fazenda Tarumã e Estância da Conquista,

Julio de Castilhos e Lavras do Sul

(RS)

Ginete: Daniel Waihrich Marim Teixeira

ZERO HORA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: