Homem assalta rádio e agride locutor durante programa no RS, diz polícia

Homem assalta rádio e agride locutor durante programa no RS, diz polícia

Locutor de 57 anos levou uma coronhada na cabeça.
Estação de Canoas, na Região Metropolitana, teve prejuizo de R$ 1 mil.

Felipe Truda Do G1 RS

Assalto à rádio comunitária em Canoas, RS (Foto: Reprodução / CS Rádio FM)
Vídeo mostra o homem entrando no estúdio sem
ser notado pelo locutor (Foto: Reprodução/CS FM)

O estúdio de uma rádio comunitária de Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, foi assaltado no fim de tarde desta quarta-feira (28) durante a transmissão de um programa. A informação partiu dos integrantes da estação e foi confirmada pela Polícia Civil. De acordo com o programador e locutor executivo Diogo Carbonera, um homem levou equipamentos de som com valor estimado em pouco mais de R$ 1 mil. Ele ainda desferiu uma coronhada no locutor Dari Silva de Oliveira, de 57 anos, que transmitia um programa no local.

A polícia suspeita que o autor do crime seja um adolescente com idade aproximada entre 18 e 20 anos. “Temos uma suspeita preliminar e estamos investigando”, diz o delegado Pablo Rocha, da Delegacia de Pronto Atendimento da Polícia Civil de Canoas.

Um vídeo gravado pela própria rádio mostra o homem entrando no estúdio e saindo com objetos roubados. Oliveira conta que havia deixado o estúdio no momento em que o homem entrou. "Desci, fui até a sacada, fumei um cigarro e voltei. O cara estava aqui dentro roubando e eu não vi", diz o locutor da CS FM, que transmitia um programa de música tradicionalista gaúcha.

Ao deixar a sala de transmissão, o radialista encontrou o homem carregando um saco. Para disfarçar, o criminoso pediu para conversar com um integrante da banda Mamão com Açúcar, popular na cidade. “Todo mundo sabe que a banda existe. O ônibus deles estava aqui parado na frente”, explica Oliveira.

O locutor percebeu o roubo ao ver cabos soltos pelo chão. Tentou tirar o saco do invasor e acabou sendo agredido. “Ele me mandou virar de costas e eu virei. Ele estava com um revólver, pegou pelo tambor e me acertou com o cano na cabeça. Não foi forte, foi só para assustar. Eu pensei ‘vai me matar’, mas não ouvi nenhum tiro”, relatou. O homem deixou o estúdio e fugiu se embrenhando em meio a arbustos próximos à sede da estação.

A rádio foi fundada em 1994 e atualmente opera no bairro Jardim Atlântico, em Canoas. Grande parte da programação é destinada à música tradicionalista do Rio Grande do Sul, forró e sertanejo. “Esse é o estilo da nossa comunidade”, diz Oliveira.

Fonte: Globo.com

Anúncios

Jayme Caetano Braun , O tempo

Boas Festas!

Mensagem de Fim de Ano – Lisandro Amaral

Mais um ano está chegando ao fim e não podemos deixar de agradecer a todos que de alguma forma estiveram conosco. Assim, deixamos aqui uma mensagem de reflexão de Lisandro Amaral. Esperamos em 2012 poder seguir compartilhando as mensagens, shows e obras do artista que, de forma simples, homenageia o homem do campo e contribui com a cultura gaúcha.

Um ótimo natal e um 2012 repleto de realizações.

"Somos o que somos, não o que não podemos comprar…

Desde o momento em que passei a ter memória de minhas manifestações como consumidor, passou a ser nítido meu desapego material, a ponto de andar por ai perdendo e danificando meus pertences, e às vezes os de outros, que por alguma razão ficaram aos meus “cuidados”. Defeito ou não, está identificada essa característica expressiva neste andante.

Quando se aproximam as datas de comemorações natalinas e vejo multiplicarem-se as angustias dos homens, pra atenderem o infeliz compromisso do presente, mais me desapego ao material e respiro os amigos sadios e a música que paira de graça.

Alcançar a famosa lembrancinha, no dia 25 de dezembro, pode tirar da maioria das pessoas a sobra financeira do suor diário e tumultuar a paciência nas filas dos comércios. Essa paciência (bom humor) – provavelmente – seria usada na comunhão harmônica entre parentes e amigos.

Os consumidores, obrigados pela cultura imposta, chegarão com o desconforto dos ambientes de venda, aos lugares de festejo, onde disfarçadas de carne assada e euforia, estarão também fantasiadas de bom velhinho, as dívidas do ano vindouro.

“Como começaria mais sadio o ano novo, sem aquele imenso televisor que a fulaninha chorou pra ganhar. E agora como eu pago a rematrícula?”

Somos o que somos, não o que temos ou doamos materializados pelas indústrias.

Eu quero dos meus filhos o sorriso no natal diário, a saúde no amanhecer… e no anoitecer: um obrigado pai por me fazer feliz sobre o lombo da Joaninha, minha petiça moura…

Está na face da criança a felicidade imaterial.

Ensine aos menores os valores maiores…

Ainda temos para presentear: uma tarde de mar, um domingo no arroio ou um passeio natural…

Nada de plástico, tudo de vida!

Perdi muito do material que me alcançava o tempo…

Estão nos ventos meus buçais de doma, meus chapéus caídos…

E ainda penso que ganhei da vida, meu maior presente

Por estar cadente e saber que a gente basta em ter vivido.

O que encontrares não terá meu nome, pois não foi de mim…

Ficou no chão porque não soube a mão cuidar o bem querido.

Serão as boinas e rebenques novos. Teus agora, entendes?

Eu perdi consciente e ganhastes crente por eu ter perdido.

E quando achares, no caminho saiba que eu não sou Noel.

E perdi ganhando do trenó da vida meus pertences nobres.

E que nunca o gesto de presentes caros sobressaia o claro

De um abraço antigo, de um carinho amigo no natal dos pobres.

Ensine aos menores os valores maiores de haver nascido.

Somos o que somos e jamais seremos nossos bens perdidos!

Eu preciso ver que estarás feliz quando me ver presente.

Eu preciso mesmo é que não chores nunca um bom amor vivido.

Que o teu presente seja o que o natal alerta ao bem vivido.

Compartilhem flores que estarão de graça no jardim da vida.

Que floresça a praça ao te ofertar com graça o que plantou o amor

Quando o criador benzeu de luz sublime pra ser compartida.

Diga que eu não pude ofertar o preço, pois pediram muito.

E eu não tinha plata, andava de alpargata, mas cheguei FELIZ.

Tenho o que tu quis, tens o que eu almejo na ilusão dos pobres

Que esse povo “nobre” nunca venda e sobre o bom do meu País.

Que esse povo rico, esteja de alpargata… saiba andar sem plata e tenha o que comer.

Diga que eu não pude ofertar o preço para ter riqueza…

Que eu não fui às compras, me sobraram roupas e vou rezar aos nobres

Pra que tenham luzes governando o mundo pelo pão nas mesas.

Somos o que somos, não o que compramos pra somar pobreza…"

Lisandro Amaral

Corpo de nativista José Cláudio Machado é sepultado em Guaíba

Cantor estava internado desde junho devido a câncer de pulmão

Velório foi na Câmara Municipal de Guaíba<br /><b>Crédito: </b> Bruno Alencastro
Velório foi na Câmara Municipal de Guaíba
Crédito: Bruno Alencastro

O corpo do cantor nativista José Cláudio Machado, 63 anos, foi sepultado nesta terça-feira no Cemitério Municipal de Guaíba. Ele morreu na segunda-feira vítima de câncer de pulmão. Ele estava internado desde junho no Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre. O velório ocorreu na Câmara Municipal de Guaíba, onde Machado morava nos últimos anos.

O prefeito de Guaíba, Henrique Tavares, decretou luto oficial de três dias. “O Rio Grande do Sul perdeu um grande artista, mas Guaíba perdeu mais. Também um filho”, lamentou. Amigo do cantor, Milton Jardim, disse que a música gaúcha certamente perde um de seus melhores intérpretes.

Machado fez sua última apresentação em outubro do ano passado, em comemoração aos 84 anos do município, durante a 14ª Expofeira Centro Sul.

Foi o vencedor da Califórnia da Canção Nativa, em 1972, com a música “Pedro Guará”. Machado lançou 15 discos na sua carreira, entre trabalhos próprios, coletâneas e o disco “Isto é Os Serranos”, em 1985, com o grupo Os Serranos. Foi o primeiro trabalho nativista a vender mais de 100 mil cópias e ganhar o Disco de Ouro.

Em 1996, gravou o disco “Milongueando uns troços”, com Bebeto Alves. Também fez parceria com grandes nomes do nativismo, como Luiz Marenco e Jayme Caetano Braun, um de seus melhores amigos.

Em 2004, revisitou sua carreira no DVD “No Meu Rancho”, gravado no sítio onde o compositor morou por mais de 20 anos, em Guaíba. Machado também foi um dos idealizadores do Parque da Harmonia, em Porto Alegre. Em uma de suas últimas entrevistas, afirmou que os eventos realizados no local, como o desfile e o Acampamento Farroupilha haviam perdido o seu sentido original nos últimos anos.

Fonte: Marcos Koboldt / Correio do Povo

ENTREVERO DE TROPILLAS EN AYACUCHO FIESTA DEL TERNERO 2010

Pra começar bem a semana, pelo menos pra quem gosta de cavalo e coisas gaúchas !!!!!!!

A mim me agrada muito !!!!

Fernando F. Velloso

Lançamento CD e DVD Rio-grandenses

César Oliveira & Rogério Melo lançam Rio-grandenses

No dia 15 de dezembro, ocorrerá o lançamento do CD e DVD Rio-grandenses, comemorativos aos dez anos de carreira de César Oliveira & Rogério Melo. Gravado em São Gabriel, o projeto visa realizar um apanhado da trajetória artística do dueto através de um repertório que inclui sucessos, músicas antigas e também temas atuais, registrados recentemente no CD Cantiga para o meu chão.

Rio-grandenses está sendo lançado em dois formatos: CD e DVD. O registro em CD foi dividido em dois volumes, um apenas com o dueto e outro contemplando os convidados que integraram o espetáculo, entre eles Paulinho Pires, Shana Muller, Mauro Moraes, Anomar Danúbio Vieira e Rogério Villagran – presenças já confirmadas no show de lançamento.

Já o DVD tem como conteúdo exclusivo uma apresentação de Luciano Maia & Quarteto Rio-grandense e a bela coreografia do grupo de dança Os Chimangos, parceiro de longa data, que participou também dos DVDs Pátria Pampa e O Campo. Além disso, o DVD traz o videoclipe da música Penãrol – com a ilustre participação de Luiz Carlos Borges, um dos maiores compositores e instrumentistas do Rio Grande do Sul – e o clipe de Com Almas Iguais, música que tem Joca Martins como intérprete convidado. O vasto conteúdo de extras do DVD – somados a mais de 2h de espetáculo ao vivo – deram origem a um DVD duplo, que terá uma edição especial com tiragem limitada em apenas 1000 cópias.

Serviço:

O que: Lançamento do CD e DVD Rio-grandenses, de César Oliveira & Rogério Melo

Show de abertura: Luciano Maia

Convidados: Paulinho Pires, Shana Muller, Mauro Moraes, Anomar Danúbio Vieira e Rogério Villagran

Quando: 15 de dezembro, quinta-feira, às 21h30

Onde: Centro de Eventos Casa do Gaúcho (Parque da Harmonia), em Porto Alegre

Ingresso: 01 brinquedo novo, que será doado para crianças carentes

Informações: (51) 9822.9151 ou producao

Cordialmente,
Mariana Pires
Asse.Imprensa & Produção Executiva
Fone: 51. 9822.9151
www.cesarerogerio.com.br
www.twitter.com/cesar_rogerio