Agenda Roberto Borges

Anúncios

Agenda Leonel Gomez

Agenda Érlon Péricles

Indicados ao Prêmio Açorianos de Música 2011

A Coordenação de Música da SMC divulga a lista com os indicados do Prêmio Açorianos de Música 2011 na categoria Disco, Menção Especial e o Homenageado do Ano. As indicações para as demais categorias serão divulgadas no mês de abril.

O Prêmio Açorianos de Música 2011 destacará os lançamentos fonográficos de Porto Alegre, premiando os melhores do ano, nas categorias Disco, Espetáculo do Ano, Melhor Disco Infantil, Revelação, Arranjador, Produtor Musical, Produtor Executivo, Projeto Gráfico, DVD do Ano, Menção Especial e Homenageado do Ano. A cerimônia de entrega será dia 09 de maio, às 20h30, no Theatro São Pedro.

1) INDICADOS NA CATEGORIA DISCO:

A) Gênero Regional

Compositor

– Airton Pimentel por “Léguas de Milonga”
– Ewerton Ferreira por “Restos de Silêncio”
– Jairo Lambari Fernandes por “Cena de Campo”

– Lisando Amaral por “Canto Ancestral”
– Mauro Moraes por “Num Bolicho da Linha Melódica”

Intérprete

– Joca Martins por “25 Anos”
– Marco Aurélio Vasconcellos por “Já Se Vieram!” de Marco Aurélio Vasconcellos e Martim César Gonçalves

– Pirisca Grecco por “Clube da Esquila”
– Porca Véia por “Do Mesmo Jeito”
– Walther Morais por “Chamarrona de Campanha”

Instrumentista

– Luciano Maia por “Talareando”
– Lucio Yanel por “Folclore Argentino”

– Marcello Caminha por “Riograndenses” de César Oliveira e Rogério Melo
– Negrinho Martins por “25 Anos” de Joca Martins
– Valdir Verona por “Uma Viola Ao Sul”

Disco

“# Buenas_2” de Buenas e M’espalho

“100% Gaúcho” de Tchê Barbaridade
“25 Anos” de Joca Martins
“Folclore Argentino” de Lucio Yanel
“Riograndenses” de César Oliveira e Rogério Melo

Fonte: http://coordenacaodemusicasmc.wordpress.com

20ª Sapecada da Canção Nativa -TRIAGEM

1- Milonga e Baguala
Ritmo: Milonga
Letra: Rogério Villgran
Música: André Teixeira
Cidade: São Gabriel – RS

2- A Modo de Anunciação
Ritmo: Milonga
Letra: Sérgio Carvalho Pereira

Música: Juliano Gomes
Cidade: Porto Alegre RS

3- Pelo Fio da Crina
Ritmo: Milonga
Letra: Adriano Silva Alves
Música: Joca Martins
Cidade: Pelotas – RS

4- Morena… Morena
Ritmo: Chamamé

Letra: Evair Suarez Gomez
Música: Leonel Gomez
Cidade: Santana do Livramento – RS

5- Terra
Ritmo: Toada
Letra: Adriano Silva Alves
Música: Cristian Camargo
Cidade: Pelotas – RS

6- Mais Um Trago Pro Cecêu
Ritmo: Vaneirão
Letra: Rafael Teixeira Chiappetta
Música: Marcelo Oliveira
Cidade: Gravataí – RS

7- Tierra Adentro
Ritmo: Milonga
Letra: Xirú Antunes e Martin César

Música: André Teixeira
Cidade: Pelotas / Jaguarão / São Gabriel – RS

8- Bem Firme no Pega-Mão
Ritmo: Milonga
Letra: Fabrício Marques e Eduardo Muñoz
Música: Cícero Camargo
Cidade: Pelotas / Canguçu – RS

9- Do Ramão e Minha Infância
Ritmo: Toada
Letra: Eron Vaz Mattos
Música: Cristian Camargo
Cidade: Pelotas / Porto Alegre – RS

10- Mi Pueblo de Ayer
Ritmo: Chamamé
Letra: Martim César

Música: Paulo Timm
Cidade: Jaguarão – RS

11- Trança e Flor
Ritmo: Milonga
Letra: Evair Suarez Gomez
Música: Adriano Gomes
Cidade: Santana do Livramento – RS

12- A Porteira do Tempo

Ritmo: Chamamé
Letra: Gujo Teixeira e Murilo Teixeira
Música: Lucas Ferrera
Cidade: Porto Alegre – RS

13- Romance do Pito Apagado
Ritmo: Rasguido Doble
Letra e Música: Luis Fernando Bender

Cidade: Bagé – RS

14- Um Açude é Um Céu Dentro D’água
Ritmo: Milonga
Letra: Gujo Teixeira
Música: Zé Renato Daudt
Cidade: Porto Alegre – RS

15- Buçal Torcido
Ritmo: Milonga

Letra: Cauê Machado
Música: Otávio Severo e Luis Fernando Bender
Cidade: Arroio Grande e Bagé – RS

16- João Corda Feia
Ritmo: Chamarra
Letra: Rogério Villagran
Música: Rogério Villagran e Sandro Rockembach

Cidade: Pelotas – RS

1ª SUPLENTE- Tradução
Ritmo: Chacarera Doble
Letra: Marcio Nunes Correa
Música: Fabiano Bacchieri
Cidade: Pelotas – RS

2ª SUPLENTE- Um Certo Sul
Ritmo: Milonga

Letra: Zeca Alves
Música: Raineri Spohr
Cidade: Livramento / Dom Pedrito – RS

3ª SUPLENTE- Linha de Fronteira
Ritmo: Milonga
Letra: Sérgio Carvalho Pereira
Música: Silvério Barcellos
Cidade: Rio Grande / Pelotas – RS

4ª SUPLENTE- Piquetero
Ritmo: Milonga
Letra: José Carlos Batista de Deus
Música: Otávio Severo
Cidade: Pelotas – RS

*Colaboração: Marcelo D’Ávila
Fonte: Pulperia

Perspectiva de solução para embargo russo a carnes brasileiras dá esperança ao setor no Sul do Brasil

Nesta semana, Mendes Ribeiro Filho viajará à Rússia para discutir o entrave; bloqueio a produto brasileiro prejudica seis frigoríficos instalados no RS

Produtores do Rio Grande do Sul estão esperançosos por uma solução para o embargo russo à carne produzida no Brasil. Imposto em junho de 2011, o bloqueio atinge seis frigoríficos no Estado, além de unidades em Mato Grosso e no Paraná.

Nesta semana, o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, viajará à Rússia para discutir o entrave. Na sexta, dia 30, se reunirá com a ministra da Agricultura do país, Yelena Skrynnik, para apresentar o cumprimento das normas sanitárias exigidas pelas autoridades russas e pedir a retomada imediata da exportação.

O secretário de Defesa Agropecuária brasileiro, Enio Marques, chegará a Moscou dois dias antes para acelerar a negociação e resolver pendências técnicas com as autoridades sanitárias russas. A perspectiva de resolução do impasse anima o setor no Rio Grande do Sul.

– É uma situação que nos prejudica, pois afeta um importante mercado. Há meses aguardamos uma solução – afirma Ronei Lauxen, presidente do Sindicato da Indústria da Carne do Estado (Sicadergs).

Na época do bloqueio, a Rússia absorvia 30% das exportações de carne in natura do Rio Grande do Sul. Conforme Lauxen, a demanda do país passou a ser suprida por frigoríficos instalados em Estados fora da zona de embargo, que começaram a focar na exportação.

Se o bloqueio for encerrado, a recuperação do mercado russo pelos gaúchos deverá se dar com a redistribuição do tipo de produção dos frigoríficos, afirma Lauxen.

A viagem de Mendes Ribeiro ocorre em um momento político favorável às negociações. O ministro conversou pela primeira vez com Yelena Skrynnik em janeiro. Na época, afirmou que a expectativa era de que uma solução seria concretizada após as eleições presidenciais na Rússia. A votação ocorreu no início de março e resultou na vitória de Vladimir Putin.

Fonte: Ruralbr

Aveia com pecuária

As potencialidades da aveia no sistema de integração lavoura-pecuária serão analisadas na 32 Reunião da Comissão Brasileira de Pesquisa de Aveia, a partir da apresentação de 150 trabalhos científicos. O encontro, entre 3 e 5 de abril, na Embrapa Trigo, também avaliará o desempenho da última safra e avanços técnico-científicos. Detalhes no site www.cnpt.embrapa.br.

Fonte: CP

Conab libera milho a balcão

Produtores reclamam que preço está acima do previsto e que há dificuldade de armazenagem

Saca de 60 quilos do grão poderá ser adquirida por R$ 21,00<br /><b>Crédito: </b> LUIZ CARLOS GUTKOSKI / DIVULGAÇÃO / cp memória
Saca de 60 quilos do grão poderá ser adquirida por R$ 21,00
Crédito: LUIZ CARLOS GUTKOSKI / DIVULGAÇÃO / cp memória

Depois de mais três meses de espera, a Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) finalmente deu a largada na venda de milho a balcão subsidiado para alimentação animal em municípios gaúchos afetados pela seca. Inscritos no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) podem adquirir até 6 toneladas nas praças de Erechim, Estrela, Garibaldi, Marau, Passo Fundo e Santa Rosa. A saca de 60 quilos, que na operação normal custa R$ 27,00, poderá ser comprada por R$ 21,00.

De acordo com o superintendente da Conab/RS, Glauto Melo, 7 mil t das 14 mil t armazenadas no Estado já estão disponíveis nestas localidades. Mas a primeira parte das 130 mil t previstas (50 mil t) deve chegar até sexta-feira. Na segunda etapa, com o recebimento de 80 mil t, a ideia é ampliar a abrangência.

No entanto, a demora na publicação da portaria interministerial que autorizou a operação deve reduzir o interesse pelo cereal, prevê o vice-presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar no Rio Grande do Sul (Fetag/RS), Carlos Joel da Silva. Apesar do desconto de 22,2%, o preço ficou R$ 2,00 acima do que foi acertado inicialmente, relata. Também há dificuldade em fazer com que o produto chegue ao agricultor devido à falta de armazéns credenciados em alguns dos municípios. "Pode levar mais 30 dias para chegar nas localidades onde não há cooperativa credenciada ou faltar espaço nos silos", diz.

DESTINO DAS 50 MIL T
Municípios
Erechim: 21 mil t;
Estrela: 6 mil t;
Marau: 3 mil t;
Passo Fundo: 20 mil t
Total: 50 mil t.
Fonte: CP

Exposição Nacional Hereford e Braford acontece em maio

O Parque de Exposições Lauro Dornelles, em Alegrete, está prestes a receber pelo segundo ano consecutivo a Exposição Nacional de Hereford e Braford. O evento, realizado pelo Núcleo Fronteira Oeste de Hereford e Braford (NFOHB) com o apoio da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), acontece entre os dias 14 e 20 de maio e promete ser uma das maiores exposições do ano de 2012.

A entrada dos animais acontece a partir das 10h do dia 14 de maio, sendo encerrada às 18h do dia 16 de maio para os animais a galpão, 17h do mesmo dia para rústicos a prêmio e às 12h do dia 19 de maio para animais apenas a venda. O julgamento de admissão terá início no dia 17 de maio, 14h, para animais galpão, e 8h de 18 de maio para os rústicos.

Sobre os custos de inscrição, serão R$ 100,00 para cada animal a galpão e de R$ 200,00 para cada trio de animais que concorrerá a prêmio e R$ 80,00 para o reserva. Importante: os expositores de cidades da área de abrangência do Núcleo Fronteira Oeste de Hereford e Braford (NFOHB), não sócios do mesmo, terão acréscimo de 100% sobre o valor da inscrição. As inscrições tem prazo final no dia 2 de maio, e serão realizadas pela secretaria da ABHB (as fichas de inscrição encontram-se disponíveis para download no site, ou podem ser solicitadas à secretaria, pelo telefone 53-3242-1332 ou pelo e-mail secretaria.hereford).

Durante a programação da Exposição Nacional de Hereford e Braford acontece também o 10º Curso de Atualização e Julgamento das Raças Hereford e Braford Dr. Jacob Momm Filho, a 3ª Jornada Técnica para Produtores da Carne Certificada Pampa, o remate oficial da Nacional (Remate Chancelado ABHB) e ainda o Leilão Pitangueira Prêmium, inédito leilão chancelado que vai ofertar o plantel de fêmeas premiados a galpão do grupo que venceu o Ranking Nacional de Criadores pelas últimas 10 edições.

* Com informações da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB)

Linha Campeira – Entrevista Televisão

Final de Seca Leonel Gomez e Bragas – Linha Campeira

Lisandro Amaral – Porteira a Fora

Buenas e M’Espalho “Flor de Campeira”

Vida de Campeiro – BAITACA

Muiézinha Incomodativa – Mano Lima

César Oliveira e Rogério Melo – Coração de Cordeona

Joca Martins “Por Causa das Pilcha”

Pecuária reduz 21,3% nos últimos anos

Com o avanço das florestas, a pecuária vem gradativamente perdendo espaço em Três Lagoas. A cidade, que no passado chegou a ter mais de um milhão de bovinos, hoje não ultrapassa a margem de 800 mil cabeças. A redução é comprovada por meio de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). De acordo com as estatísticas, o rebanho três-lagoense foi reduzido de 957,1 mil cabeças, contabilizadas no ano de 2004, para 753,3 mil, em 2010. O número corresponde a uma redução de 21,3% (203 mil cabeças). Os dados de 2011 ainda não foram divulgados pelo Instituto.

Para o presidente da Associação de Criadores de MS (Acrissul), Francisco Maia, a redução do rebanho bovino não apenas era esperada, como deverá aumentar ainda mais nos próximos anos. “Trata-se de um processo natural. Com a expansão das florestas, as terras deixam de ter gado. Há um lado bom para o produtor, que tem maior lucro. A floresta é mais rentável e deverá crescer muito mais. Três Lagoas, em breve, será a capital da floresta”.

Maia defende que uma das principais causas para a migração de culturas – da pecuária para a floresta – deve-se ao alto custo da produção de gado de corte. “No Brasil, o custo é um fator limitante. Custa caro ser brasileiro. No Paraguai, por exemplo, o processo de criação de gado é 30% mais barato que aqui. Em contrapartida, na hora da venda, o valor é o mesmo”, destacou.

O presidente não tem o número exato de produtores que migraram de cultura. Mas admite: “São centenas deles. Eu mesmo mudei de cultura. Mudou-se a matriz econômica do Estado. São variáveis que surgem para que o produtor consiga continuar. Caso contrário, ele acaba. O produtor não aguenta”. Para Maia, o lucro com o cultivo de florestas, por exemplo, chega a ser três vezes superior ao da pecuária de subsistência (tradicional).

O presidente não acredita no completo fim da pecuária. Para ele, o melhor caminho para os produtores está na integração: gado e outra cultura, como a cana, a soja e, no caso de Três Lagoas, a floresta de eucalipto (Silvicultura). Entretanto, os pecuaristas terão de se modernizar. “Esta pecuária à qual estamos acostumados, de subsistência, com uma cabeça por um alqueire e áreas degradadas, com certeza desaparecerá. Os produtores terão de se adequar e investir em novas tecnologias. Deixaremos de ter o maior rebanho do Brasil para ter o melhor rebanho do país”.

Estima-se que em torno de 500 mil hectares, antes destinados à pecuária de corte, hoje estejam ocupados por eucalipto.

ESTADO

Atualmente, Mato Grosso do Sul está na terceira posição entre os estados criadores de gado do Brasil. Porém, corre o risco de perder o posto – ocupado desde 2009 – para os estados do Pará e Goiás.

Segundo o IBGE, o Estado conta com um rebanho de 22,3 milhões de cabeças. No começo deste ano, o número de abates sofreu um aumento de 20%. Enquanto no mês de janeiro de 2011, os produtores sul-mato-grossenses abatiam 264,3 mil cabeças. Neste ano, o índice chegou a 290,3 mil animais. Além disso, foram 24,2 mil fêmeas a mais abatidas neste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

BOX:

Evolução do rebanho três-lagoense

2004 – 957.151 cabeças
2005 – 938.008 cabeças
2006- 887.598 cabeças
2007 – 790.810 cabeças
2008 – 788.602 cabeças
2009 – 754.126 cabeças
2010 – 753.337 cabeças

Fonte: IBGE
Renata Prandini