CALIFÓRNIA 2009

Entrevista do Blog do cantor Pirisca Grecco, com o Sr. Julio Teixeira, presidente da 36ª Califórnia.

Fonte: www.pirisca.com

Vale a pena conferir o Blog.  Muito bom mesmo.
Parabéns Pirisca.

Lá pelas quatro e pico da tarde de quarta-feira, 14 de Outubro, no Café da Praça em Uruguaiana, bati um papo com o Sr. Julio Cezar Benites Teixeira, hoje Patrão do CTG Sinuelo do Pago e Presidente da 36ª Califórnia da Canção Nativa do Rio Grande do Sul.

GRECCO: Sai a califa?
JULIO: Sai.

GRECCO: Quando?
JULIO: De 3 a 6 de dezembro de 2009. O concurso de músicas de quinta (3) a sábado (5) e domingo (6), aproveitando a Pastoril e a parceria com o SESC, show com o Circo
Tohll.

GRECCO: A grana ta na mão?
JULIO: Tecnicamente, estará na mão quando estiver no banco, mas… Dá pra dizer que ta na mão. Pessoas sérias e de confiança garantiram a verba. Entre elas nosso prefeito Sanchotene Fellice.

GRECCO: E os atrasados?
JULIO: Está previsto no orçamento o pagamento de todos os músicos que tenham cheques sem fundo da edição passada. Isso é a prioridade.

GRECCO: Houve alguma tentativa de contato com a direção do Musicanto para uma possível parceria, nas datas e, de repente algum show internacional?
JULIO: Em abril, ligaram aqui para a RBS. Alguém de Santa Rosa, não sei se era da prefeitura ou da comissão. Eu estava lá com o Bruneli (diretor RBS Urug.). Eles queriam saber se ia sair a Califórnia e, em que data. Eu confirmei, de 3 a 6 de dezembro. De lá pra cá não se falou mais. A noticia é que o Musicanto escolheu a mesma data…

GRECCO: O termo inédito, quer dizer o quê?
JULIO: (abre a pasta e saca o Regulamento)
“art12. Somente poderão concorrer no concurso canções inéditas.”
“Parágrafo único: considera se inédita, para o concurso, a composição poético-musical que não tenha sido gravada fonograficamente, editada literariamente ou ter sido produzida em escala comercial.”

GRECCO: E o chamamé?
JULIO: (ainda com o regulamento)
“art4. As composições musicais apresentadas a seleção devem ser representativas da cultura do Rio Grande do Sul.”
“Parágrafo único: entende se como tal, a que evidencia temas da terra e da gente gaucha fundamentada, gêneros rítmicos regionais do Rio Grande do Sul.”
“Art5. A CCNRS não seleciona composições com gêneros que não estejam integrados a cultura Rio-grandense.

GRECCO: Confirmando então: data, 3 a 6.
Prazo para inscrições?
JULIO: Começou ontem e vai até dia 28 de outubro.

GRECCO: Onde se encontra o regulamento?
JULIO: (faz uma ligação do celular)
No site:
ou na sala da Califórnia junto ao Centro Cultural em Uruguaiana.

GRECCO: Valor da ajuda de custo?
JULIO: R$ 2.000,00 para todos os participantes (16 musicas)
e mais R$ 1.000,00 para os 12 classificados para a final.

GRECCO: Jurados?
JULIO: Ainda não temos a confirmação.

GRECCO: Shows? Tohll no domingo e?
JULIO: existe uma negociação com a Família Lima e os outros , depende da confirmação do Juri. Vamos ver se aproveitamos os jurados para algum show.

GRECCO: Gracias!

Photobucket

Quero registrar que cada um pagou a sua “mineral”.

Pirisca Grecco – Comparsa Elétrica

 Buenas amigos ouvintes do programa Linha Campeira.

 O tema que me traz há escrever essa semana é o recente lançamento do CD Comparsa Elétrica, de Pirisca Grecco y La Comparsa Elétrica. A banda que o acompanha.

 Há tempos esperávamos pelo lançamento de um novo trabalho desse talentoso músico uruguaianense e seus comparsas, pois seu último lançamento foi no ano de 2006, com o CD Bem de Bem.

 A discografia é a marca registrada da versatilidade do Pirisca e vice-versa. O primeiro CD foi gravado de forma independente em 2001, com o título “O que sou e o que pareço” e teve produção do próprio Pirisca.

 O segundo foi gravado em 2003, com produção de Erlon Péricles e participações de Ricardo Martins, Marcelinho Freitas, Tuni Brum, Sandro Cartier, Ranier Spohr, Érlon Péricles, Ângelo Franco, Jonei Wrasse, Fábio Maus, Paulinho Roveder. O Compasso Taipeiro marcou a maturidade musical do Pirisca e veio acompanhado de grandes sucessos com as músicas “O Tombo”, “Outra Campereada”, “De cima do arreio” e “Buraco no peito” que inclusive rendeu um vídeo clipe. Mais uma novidade inovadora no meio do nativismo.

 O trabalho seguinte veio já em 2004, se chamou Muchas Gracias e como característica teve a mescla de temas com versões ao vivo e em estúdio, onde o diferencial foi a seleção musical feita criteriosamente por Erlon Péricles e o pelo próprio Pirisca. Esse CD é muito bom, tem participações especialíssimas dos parceiros dos festivais e verdadeiros sucessos dignos do agradecimento Muchas Gracias. Outra característica.

 Em 2006 veio o lançamento do CD Bem de Bem, com excelente produção musical, arranjos igualmente fantásticos e uma linha aberta, com temas mais trabalhados e letras mais compreensíveis para o gaúcho urbano. Outras características marcantes foram à versão primorosa da música “Gaudêncio sete luas”, um clássico do tradicionalismo gaúcho, e o lado romântico do artista, que aflorou se tornando outro diferencial nesse mar de versatilidade.

 Por fim chegou o Comparsa Elétrica. A produção ficou por responsabilidade de Juca Moraes e traz a marca da história musical do artista.

 A qualidade da captação, gravação, mixagem e masterização está excelente e faz toda a diferença. Os arranjos e a qualidade musical da Comparsa Elétrica realmente estão à altura da homenagem no nome do CD. As ligações da seleção musical com os trabalhos anteriores começam pela regravação de músicas do independente “O que sou e o que pareço”, com novas versões e arranjos que deram um novo brilho a temas como “Jeito Gaúcho” e “Rédeas”.

 Músicas originarias de festivais também marcam presença com “Mandinga” e “Canta Maria”, que fizeram parte do Minuano da Canção de Santa Maria. Essa foi a maior característica do CD Muchas Gracias.

 Além da excelente seleção musical e da maturidade a muito alcançadas, num certo Compasso Taipeiro, outras características são as regravações de clássicos gaúchos e a linha aberta, com linguagem fácil para o gaúcho urbano, mantendo a proposta do “Bem de Bem”. Destaque para a valsinha “Rio Grande Tchê”, de Ayrton Pimentel e Edson Dutra, que conta com a participação especial do Quarteto Gauderiando.

 A leitura do novo CD como sendo um apanhado da história musical, da coerência dos fatos e atos é uma visão pessoal, uma interpretação musical, mas essa história não para por aqui.

 Numa breve visita ao site www.pirisca.com tive a oportunidade de comprovar parte da minha tese sobre história e coerência de fatos. No link do Blog é possível acompanhar a viagem que o Pirisca fez pela Europa, onde conta com o apoio do “anfitrião” Marcelinho Freitas, grande parceiro, baterista e percussionista desde os tempos do CD Compasso Taipeiro.

 No blog estão às histórias da viagem e algumas participações nos shows dos amigos músicos brasileiros, onde a versatilidade do artista está escancarada. Vejam como a regionalidade e a musicalidade desse som vai bem em qualquer lugar. Parafraseando os versos da música Trem da Fumaça, deste novo CD, que diz assim: “A fumaça do palheiro é um trem que me leva onde eu quiser. Buenos Aires, NY, Uruguaiana, ou outro pago qualquer. Na bagagem um pouquito de dinheiro, a bombacha e o violão. Pra quem canta o limite é a garganta e a bandeira o coração…”.

 Pirisca Grecco, regional, portanto universal. We are the word!!!

Vale a pena conferir.

 Um forte abraço a todos.

Leonel Furtado

Pirisca y la Comparsa Capa

Pirisca y la Comparsa Capa

Pirisca y la Comparsa Capa
Pirisca y la Comparsa Capa

 

Vejo o video clipe da música Buraco no Peito.

Pirisca Grecco y La Comparsa Elétrica

 Buenas amigos ouvintes do programa Linha Campeira.

 O tema que me traz há escrever essa semana é o recente lançamento do CD Comparsa Elétrica, de Pirisca Grecco y La Comparsa Elétrica. A banda que o acompanha.

 Há tempos esperávamos pelo lançamento de um novo trabalho desse talentoso músico uruguaianense e seus comparsas, pois seu último lançamento foi no ano de 2006, com o CD Bem de Bem.

Continue lendo »